caiaque bahia

caiaque bahia
Visite o Caiaque Bahia - clique na imagem

domingo, 22 de abril de 2012

Pescarias de Caiaque no Conde, Bahia

Aproveitei a Quarta Etapa do Torneio de Pesca de Praia do Clupesal realizada na Praia do Curral Falso, nos dias 14 e15 de abril,  em Sítio do Conde para dar uma remada nas barras do Itariri e do Itapicurú. As fotos e resultados do torneio do Clupesal podem ser vistas clicando aqui.

Sendo o torneio no sábado a tarde e no domingo pela manhã, saímos daqui na sexta feira ás 06h00 com a companhia de Lindinalva e Ana Luíza. Chegamos em Barra de Itariri ás 08h30min e não pude colocar o caiaque na água devido ao forte vendo sudeste que soprava a mais de 20 km/h.

A opção era entrar no Rio Itariri depois da curva barra, onde o vento estaria mais fraco. Passamos então a procurar uma entrada e rodamos muito por várias estradinhas carroçáveis e quando finalmente encontramos uma entrada para o rio já passavam das 10h00 e a falta de uso da estradinha tinha possibilitado que a vegetação fechasse o acesso. Ai não teve jeito, tive que abrir uma picada no facão. 

(clique nas fotos para aumentar)

E chegamos a beira do rio.
A paisagem encantou Ana Luíza e Lindinalva que fizeram várias fotos de animais e flores, como a da foto abaixo de nome bem conhecido nosso. 
Ana Luíza aproveitou para fazer um filminho de como descarrego o caiaque do jipe que tem 1,85 m de altura.

Infelizmente passei apenas cerca de 1 hora no Rio Itariri, pois tínhamos um almoço marcado. Neste período tive apenas dois ataques de peixes não muito grandes que não se fisgaram. Comparativamente com o Joanes, o Itariri tem muito menos sinais de vida, seja de peixes ou outros animais, talvez ainda sequelas das pescarias de bombas que fizeram em passado próximo. 

No sábado pela manhã., já que o torneio seria no sábado à partir das 12h00 fomos com o amigo Maurício e o seu sobrinho Jean para a Barra do Itapicurú,  que fica ao Norte da Vila de Siribinha. Há uma palavra que descreve o lugar: "Marilhoso".

Águas limpas e transparentes, apesar de não muito calmas, e extremamente piscosas. Você chega e parece ouvir What a Wonderful World  na voz de Louis Armstrong.

Novamente o tempo estava curto e entrei na água às 09h30min já sabendo que tinha que sair às 10:30min para almoçar na barraca e ir para Sítio do Conde participar do torneio.

Atravessei o rio, uns  300 metros de largura,  e tentei em algumas estruturas. As fotos foram feitas com um zoom de 50X.

Sem sucesso,  fiquei na margem e tentei nas pedras. Também nada.

Fui então para o mangue,onde peguei quatro cabeçudinhos (xaréus pequenos) de menos de 25 cm, todos soltos. A isca foi o camarão maré. Quando atacavam a isca dava para ver que iam mais de cinco encima da isca e seguiam o cabeçudinho que estava fisgado até próximo da superfície. 

Quando deu 10h00 rumei para onde tinha ficado as meninas, o Maurício e o Jean e joguei um jig de metal para ir corricando. Quando cruzei o rio o molinete cantou forte e eu alegre achei que era peixe do dia e quando puxei era um baiacú arara de uns 35cm. Como já estava próximo, não embarquei pois seria complicado soltá-lo sem machucá-lo. Ana Luíza filmou a chegada.


Outras fotos: A diferença de altura entre o jipe do Maurício, todo original de fábrica, e o meu com suspensão e rodas modificadas.


Não pode haver aviso mais claro e direto que este.

O Jean examinando carinhosamente o baiacú "inchado", que é proteção natural dele, que aumenta de tamanho para dissuadir o predador de engoli-lo.  

Na saída, o Jean foi filmando o caminho no areal.
  
As fotos e filmes são de Ana Luíza.

2 comentários:

  1. Grande Milton,
    Aventura nota 1000!
    Parabéns pelo relato. Ficou muito bom. As fotos então... Nem se fala. Que lugar bonito rapaz.

    Esse Jig que vc usou, foi o JJ?

    Valeu!!

    Juca

    ResponderExcluir
  2. Olá Juca, foi um metal jig que é uma mistura de colher e spinnig.

    ResponderExcluir

Obrigado por seu comentário.