caiaque bahia

caiaque bahia
Visite o Caiaque Bahia - clique na imagem

quarta-feira, 5 de dezembro de 2012

Explorando o Rio Imbassai

No domingo passado, dia 2 de dezembro, fomos eu e o Alex (apresentado no vídeo relato) ao Rio Imbassai. Tentamos fazer a entrada na própria vila de Imbassai mas os acessos ao rio com carro estavam bloqueados. Com um nativo obtivemos a informação que mesmo de entrássemos não conseguiríamos subir o rio por causa da correnteza e que era melhor entrarmos pelo vilarejo de Diogo,alguns quilômetros ao Norte, e sairmos pela Vila de Imbassai. Para isso teríamos que montar uma logística de volta para Diogo, onde deixaríamos os carros, o que seria viabilizado com motoboys pelo Alex. 

Para o vídeo relato dessa pescaria estreei uma nova câmera, agora montada no boné (outra "shitcam" de 10 dólares). Algumas cenas foram feitas com ela. Vamos ao vídeo: 


Estava preparando o texto deste relato quando "me deu um estalo": será que algum colega já foi antes? 

Fiz uma busca no CB e encontrei um relato do Wil e duas citações do Marcão (mvcoldeira), que foi proprietário de uma pousada por lá. Como foi difícil encontrar o claro e impecável texto do relato do Wil por estar fora de lugar (xiii..... ainda bem que aliviei com o claro e impecável). 

 O relato original está aqui: http://www.caiaquebrasil.net/t642-vou-passar-a-semana-santa-no-joanes 


[quote="Wil"] Aì, galera! Segue o relato da pescaria de sábado: Na sexta choveu a noite toda. Acordei no sábado às 4:20 ainda sob chuva, liguei pros amigos e saímos às 4:45. Paramos em Jauá no lago do papagaio pra pegar piaba(lambarí) com tarrafa, que seria a isca deles. Eu pescaria com artificial. Depois de 3 tarrafadas já havia bastante piabas e então partimos pro tal lugar. Depois de Embassaí uns 10km vimos a entrada do pesqueiro, uma placa com o nome "Diogo" à direita. Pegamos uma estrada de barro bem maltratada em alguns pontos, mas transitável e, por estar chovendo desde o dia anterior, estava pior ainda. Chegamos à uma bifurcação onde mal se podia ver a entrada do pesqueiro de tão apertadinha que é. Só soubemos que era uma estrada e não um caminho pra algum quintal porque havia um carro atolado nela mas, não(pelo menos nesse local) pela condição da estrada e sim, por imperícia do motorista. Ajudamos a empurrar o carro que vinha justamente de lá. Deixamos o carro num estacionamento de quintal ($5,00 por 8:00h) e descemos andando aproximadamente 500m até o primeiro pesqueiro. O riozinho lembra o Capivara. Olhando, você não dá nada por ele: UM riozinho estreito, depois uma praia mais larga, em seguida estreita, depois outra praia de novo e assim ele vai serpenteando até o mar. O tempo muito fechado e ocasionais chuvas fortes não favoroceram muito a pescaria. Começamos a pescar por volta das 7:00 e até as dez nem sinal de peixe com exceção das tainhas. Estávamos pra ir embora, então resolvemos parar numa pontezinha(passarela) que atravessa o rio e dá acesso aos turistas(Isso Mesmo!) ao mar, que fica a 20min de caminhada pelas dunas. Sobre essa ponte os colegas pegaram com piaba, um robalo de aprox. 0,5kg, um tucuna de 1k e outro tucuna de 2k. Vários moradores que passaram por nós disseram que alí os tucunas chegam a 6k e são abundantes e os robalos também são graúdos, que praticamente não pescam de linha e sim de mergulho, que há varios outros pontos melhores que aquele pelas redondezas e que o dia estava péssimo pra pescar(Isso notamos!). A estradinha é feia, mas creio que ela tem alguma manutenção, pois dá acesso à pequenas hospedagens e restaurantes, inclusive num deles alugam-se conoas e, enquanto pescávamos passaram alguns carros por ela. Não peguei nenhum, só uma batida na isca, porque estava limitado à margem espraiada do rio e pelo péssimo tempo. De cima da ponte a artificial não trabalha direito, mas dá pra ver os peixes passarem. Os moradores disseram que o lugar é seguro e que podemos pescar sossegados. Os carros com os caiaque chegam até dentro d'água se quiser. No sábado passado uns amigos pescaram lá de barranco com isca viva, um tucuna de 4k depois de tratado (Eu ví o peixe) e vários outros tucunas e robalos alguns bem graúdos. Enfim, é um lugar a se explorar. Já ía esquecendo! Comemos os peixes (escaldado) no condomínio do Chico, na casa de Albênio, um velho amigo(ou amiga, como ele prefere), sujeito sangue bom que também gosta de pescar, mas parece que não fica muito por lá. Tá sempre viajando à trabalho.[/quote] 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por seu comentário.