caiaque bahia

caiaque bahia
Visite o Caiaque Bahia - clique na imagem

sábado, 30 de maio de 2015

Instalando Sonar em Caiaques

especial para o Caiaque Bahia ( www.caiaquebahia.com.br )
Pronta Entrega de Caiaques na Bahia


Ter um sonar?

Saber a profundidade de onde estamos remando é muito importante, seja para evitar uma batida ou um encalhe e principalmente para localizar os peixes nos locais mais profundos e sem visibilidade, ou saber onde está um cardume de sardinhas. 

O vídeo acima foi produzido pelo Rafael, da Kayak Sports, revendedor Lontras do Sul do Brasil. Ele próprio um dos maiores e melhores caiaqueiros que já tive notícias.

Um bom pesqueiro marcado no GPS pouco adianta se não tiver a complementação de um sonar para posicionamento do barco ou caiaque. No pesqueiro conhecido como "panela do Otávio Calmon" (antes eu tinha dito que era o Buraco do Paulão, mas enganei-me),  no Porto da Barra, por exemplo, se você ficar fora do buraco um pouquinho, não terá nenhuma ação.

Qual o sonar?

Clique nas imagens para ampliar

Muito mais útil em uma pescaria de jig que em uma pescaria de pincho, muito mais útil para quem pesca no mar que em rios e lagos, considere o investimento que quer fazer baseado nessas condições, pois se você pesca de pincho em rios de nada vai lhe adiantar um super sonar, caríssimo, quando um de baixo custo supre tranquilamente a sua necessidade. 

Considere também a frequencia de trabalho do sonar na sua escolha. Quanto mais alta esta for, menor será a área abrangida pelo feixe do sonar. Um sonar de 400KHz, produz um feixe muito mais estreito que um sonar de 200 KHz, o que faz o de maior frequência ser inadequado para uso em baixas profundidades. Mas nada é à toa, o de maior frequência no entanto permite um detalhamento melhor do leito marinho ou do rio/lago.

Hoje é comum o sonar de dupla frequência, geralmente 77/200 KHz, se puder prefira um desses, pois você pode configurar qual a frequência é melhor para determinada situação. Como pesco em locais de baixa profundidade, média de 6 metros, deixo o sonar em 77KHz e se precisar detalhar mudo para 200KHz.

Os sonares mais usados: Lowrance X4, Garmin 100, 101, 150, 151, 300 e 301, Huminbird 190..

Onde instalar o sonar no caiaque?

O Display:

Ao contrário do que se pensa, a necessidade de ter o sonar "à mão" não é imperativa. Os meus instalados no Barracuda e no Outback, estão localizados no painel de proa de meus caiaques e para ligar e desligar eles eu uso o cabo da vara. Se preciso mudar a frequência (o do Outback, um Garmin Echo 150, tem dupla frequência) deslizo até ele e faço a mudança. Para mim esse é o melhor local. No entanto, caso você tenha um equipamento que impeça essa instalação, outro bom local é em um dos porta varas dianteiros, nesse caso prefira o lado contrário ao lado preferencial de uma reentrada no caiaque em caso de "tomar um caldo"




Clique nas imagens para ampliar


Nos caiaques da Hobiecat já há uma predisposição para instalação do sonar, com todo o material de passagem dos cabo necessários. Fica uma instalação de qualidade, mas eu vejo os seguintes problemas:

  1. Os cabos entram e saem no caiaque em dois locais, popa e lateral.
  2. O local do transducer fica atrás do pescador e em águas de baixa profundidade (4 metros) tudo que chega à ele é passado, e quando ancorado onde a ponta da vara está não é coberto pelo feixe do sonar 
  3. O local para bateria (popa) desequilibra ainda mais o caiaque pois seu centro de gravidade está à frente do pescador.

                                                                            Clique nas imagens para ampliar

O Transducer

Esse é o componente do sonar responsável pela emissão do pulso. Minha preferência para instalação é na proa, dentro do caiaque. Tal instalação lhe dará tranquilidade para navegar, guardar e transportar o caiaque sem se preocupar em retirar. Estando na proa, você terá tranquilidade quanto aos alarmes de baixa profundidade e de localização do que está vendo no display. O único inconveniente é a leitura da temperatura da água, que passará a ser a temperatura dentro do casco do caiaque.

Para essa instalação é feita uma cama de EVA, inclusive há um parecida também vendida pela própria Garmin, e o transducer é inserido, bem apertado, nessa cama. A cama é colada com cola de contato dentro do casco do caiaque, no fundo, em uma área nivelada. Lembre-se de lixar levemente (lixa 300 e acima) e limpar bem o casco do caiaque antes de aplicar a cola, a qual deve ser aplicada na cama e no casco, aguardar cerca de 5 minutos e então unir a cama do transducer ao casco, mantendo pressionado por cerca de 2 minutos (use pesos).

Nas primeiras instalações que fiz, em 2011, usava preencher com vaselina sólida o espaço entre o transducer e a cama, mas já são inúmeros casos de bom funcionamento sem a vaselina. O importante é que o transducer esteja apertado na cama e pressionado contra o casco do caiaque. Para pressionar o transducer contra o casco é usado um velcro preso a cama, costurado em uma das camadas do EVA. Se por ventura não funcionar, use então a vaselina sólida, dessas vendidas em postos e casas de ferragens.  

A bateria. 

Há uma padronização para quem não quer ter problemas: bateria selada, 12 Volts, 7 Ah. Com essa bateria você consegue até mais de 20 horas de funcionamento na maioria dos sonares. No entanto essa bateria pesa cerca de 2,2 kg e se esse peso for insuportável para você considere as baterias menores de 2,5 Ah, mas lembre-se que às vezes não duram nem 5 horas funcionando se a temperatura estiver muito alta.


Outro fator que praticamente é ignorado pela maioria de quem tem sonar, é que se você faz uso de uma bateria e a descarrega rapidamente e profundamente à cada uso, o tempo de vida útil desaba enormemente e logo você perderá sua bateria.

Como o transducer, a melhor opção para colocar a bateria no caiaque é também uma cama de EVA com fechamento em velcro. A cama deve envolver a bateria até 1/3 de sua altura e ser bem apertado. O velcro deve ser costurado com agulha e linha em uma das camadas do EVA e a cama colado ao caiaque com cola de contato. Lembre-se de lixar levemente e limpar bem o casco do caiaque antes de aplicar a cola. Com esses cuidados, você pode até transportar seu caiaque de ponta cabeça que a bateria e o transducer não caem (se a cama foi bem colada, claro)


A passagem da fiação

Mesmo no Hobie Outback, que tem uma ótima predisposição para instalação do sonar, a forma mais segura para se passar os cabos é com o "prensa cabo" industrial. Usado em equipamentos e painéis elétricos a função desse componente é impedir a entrada de gases e água em painéis e equipamentos elétricos e se presta muito bem ao uso no caiaque.


Se você seguiu a instalação prevista aqui, você precisará de apenas uma unidade de "prensa cabo", normalmente de 3/4". O "prensa cabo" é vendido em lojas de materiais elétricos e quando for comprar leve consigo sempre o cabo e conectores de seu sonar para ter a certeza de que o diâmetro interno do prensa cabo é suficiente para a passagem dos conectores. Lembre-se de utilizar silicone ou vedante naval na instalação do prensa cabo e na passagem do cabo, principalmente se o seu sonar tem dois cabos passando pelo prensa cabo.




A configuração do Sonar

Minha recomendação é que com a exceção do alarme de baixa profundidade setado para 0,90 m, se o seu caiaque for a pedal e para 0,60 m se for a remo, e o alarme de tensão baixa setado para 11,5 Volts, todos os demais itens de configuração você deixe no ponto médio ou em modo automático, até que o uso lhe diga o que for adequado. Use também o bom senso, se você for ativar o alarme de peixe usando a sensibilidade máxima em um local cheio de plantas você vai desistir dele. 

Enjoy e boa pesca. 



4 comentários:

  1. Excelente postagem muito didática. Mas afinal é necessário furar o caiaque para passar os cabos? Caiaque Leader ou Hunter

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado. A intenção é ajudar.

      Até os caiaques que já vêm com predisposição de fábrica para para o sonar tem seu casco perfurado para passagem dos cabos. É possível uma instalação totalmente externa, sem furos, mas com trabalhos extras na montagem diária e problemas em caso de emborcamentos ou pescaria em águas com muita vegetação, flutuante, semi-submersa ou aérea (galhadas).

      Hoje, devido a baixa de preços da tecnologia, a melhor opção é se ter um sonar e o GPS em m mesmo aparelho, talcomo o Garmin Striker 4, que custa cerca de USD$ 160.00

      Excluir
  2. Muito bom!
    Tirou dúvidas e alertou para coisas que nem tinha pensado.

    ResponderExcluir
  3. Muito esclarecedor excelente post.

    ResponderExcluir

Obrigado por seu comentário.