caiaque bahia

caiaque bahia
Visite o Caiaque Bahia - clique na imagem

quinta-feira, 3 de dezembro de 2009

Yes, Nós Temos Corruptos

É claro que a assertiva acima refere-se ao crustáceo e não aos servidores públicos e políticos de caráter torto, apesar de também nesse caso a assertiva ser verdadeira.

Tivemos a certeza disto quando saímos no domingo pela manhã eu, Jair e Deco, em uma empreitada para encontrar os bichinhos.

Primeiro fomos ao Bairro da Ribeira e o Deco tentou, com a bomba de sacar corruptos, catar alguns mas é impossível realizar isso com a bomba de sucção pois todo o leito da enseada é composto de areia com pedrinhas e pedregulhos. Embora os sinais da presença deles fossem visíveis, é impossível sacá-los dessa forma (com a bomba).

Puxei conversa com uma "mariscadeira" (mulheres que catam moluscos durante a maré baixa) e ficamos sabendo que o corrupto é chamado de tamarú e que alguns pescadores catam para uso próprio e que ela não conhecia ninguém que pegasse para vender. Informou também que do outro lado da enseada, no Bairro de Plataforma, é onde ela sempre vê pescadores catandos.

Como eu conheço o local de mariscagem de Plataforma, propus ir lá para verificar e o Jair e o Deco toparam.

Chegando lá conversamos com o André, um morador do local que comprava sardinhas frescas de um pescador e ele mostrou-nos algumas pessoas catando o tamarú. Fomos até essas pessoas e puxamos conversa. Elas nos mostraram como faziam a busca, com pás revolvendo areia, lodo e muitas pedras. Apesar de simpáticas, foram incisivas ao dizerem que catavam o tamarú para usar como isca e que não tinham nenhum interesse em vender. Fizemos a foto acima e continuamos a conversar com outras pessoas na tentativa de comprar o tamarú, mas sem sucesso.
Foi quando chegou o André e conversando ele mostrou interesse em fornecer-nos os tamarús mas que sem uma pá não conseguiria cavá-los e como a maré já estava enchendo não teria tempo de ir buscá-la em casa.

Tentei marcar para a segunda feira mas o André informou que estava fazendo um curso de formação e disse que durante a semana não seria possível pegar. Demos uma volta na área com ele e o Deco tentou de novo usar a bomba de sucção e não conseguiu devido a quantidade de pedras.

O corrupto que encontramos difere do corrupto comummente encontrado nos sites de pesca, tendo um número menor de anéis no corpo. Inicialmente achei que era uma fase juvenil do corrupto que conhecemos, mas a absoluta ausência do que seria um exemplar adulto em um universo de mais de 130 exemplares me fez descartar essa possibilidade.

Depois, já em casa, em consultas na Internet verifiquei que existem os dois tipos mas não tive segurança de para definir qual seria o nosso pois tinham vários deles, bem parecidos. Veja abaixo a foto do nosso tamarú:
A citação que encontrei na Internet sobre o uso do tamarú como isca foi em um artigo da revista Biotemas, 21 (4), dezembro de 2008 no artigo "O manguezal na visão etnoecológica dos pescadores artesanais do Canal de Santa Cruz, Itapissuma, Pernambuco, Brasil" de autoria de Marcos Antônio Bezerra Carneiro, Cristiane Maria Rocha Farrapeira e Karla Maria Euzébio da Silva. Clique aqui para acessar o artigo.

Já o corrupto que normalmente é citado por ai e eu inclusive já capturei alguns durante um torneio de pesca em Feliz Deserto, no estado de Alagoas, mas foi o do tipo da foto abaixo:
A foto é do site da CBPDS, o qual o identifica como Lysiosquilla scabricaud, clique aqui para acessar a página sobre o corrupto no site da CBPDS.

Achamos o bichinho, mas não conseguimos nenhum. Nesse dia. Aguarde, o post continuará.

Se você está vendo um único post, clique na figura abaixo para ir ao Blog Milpesca




2 comentários:

  1. olá amigos! estive em valença-ba e vi uns furos na areia em meio a maré vazante. percebi que se tratava de algum tipo de crustáceo e fiquei interessado.
    comecei a eprceber que se tratava do famoso tatuí, muito utilizado no sul do país em PDP.
    batendo um papo com uns nativos da região, eles me informarão que tinha um local onde se pegava uma isca chamada coroa, que era pra ser iscada em pescarias de alto mar, fui conferir e descubri que em taquari/valença tb existe o corrupto conhecido na região como coroa e segundo pescadores nativos existe lua e maré adequada para encontra-los. da próxima vez que for lá vou estrear minha bombade sucção que eu fiz em casa pra o que dar. abx!

    ResponderExcluir
  2. Grande Anselmo, obrigado pelo comentário. O corrupto fresco é uma grande isca e se a areia da praia dor fina, sem pedrinhas, a bomba é muito eficaz.

    ResponderExcluir

Obrigado por seu comentário.