caiaque bahia

caiaque bahia
Visite o Caiaque Bahia - clique na imagem

segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

Diário de Torneio XIII

Novamente: Muitos Peixes.
Na última etapa do Torneio de Duplas brilharam o sol e pescadores. Novamente foram muitos peixes, e de qualidade. Muitos barbudos (paratis) e pernas de moça (betara).

Pena que o André Barbosa, ainda internado no hospital por conta de um abscesso na perna e expressa recomendação médica, não pode ir. Mas seu parceiro, o Adelson, de novo, não fez feio e capturou muitos peixes.

Desta vez também apareceram os "bitelos", como esta arraia morcego da Equipe Malibu (Seu Belo e Aloysio). Acredito que a indumentária do Aloysio, nas cores do uniforme do Robin, funcionou como chamariz da arraia Batman, digo, arraia morcego.
É claro que esse meu comentário maldoso é pela Equipe Malibu nos ter tirado o primeiro lugar da etapa com essa arraia, ficando 10 pontos à nossa frente. Assumo a maldade desse comentário sozinho, deixando o Marcelo, meu parceiro, de fora.

Na etapa anterior, sem o Marcelo, fiquei segurando "a lanterna" da etapa, mas dessa vez pescamos "conforme o manual" nos revezando entre o iscamento e o lançamento/recolhimento das varas e pegamos muitos (e bons) peixes.
Quando chegou a hora do "paradeiro", àquele momento na pescaria que não dá nada, o Marcelo com um equipamento levíssino (vara de 7 libras, molinete Mariner Arrow 300) fez a diferença pegando vários peixes na "espuminha".


Foram destaques também uma imensa betara capturada pela Equipe Barracuda (Joel e Deco), do "tamanho de um braço", segundo o Deco, e um parati de 400 gramas capturado pela Equipe Filhos da Praia.

Na pesagem, a atenção de todos devido a ser a etapa final. O resultado final será ainda promulgado pelo Clupesal.
Tivemos também como fatos marcantes os "atolamentos", já que a falta de chuva deixou a areia do acesso a praia muito fofa, mas o espírito de grupo prevaleceu e o carros que não "sairam na mão grande" foram rebocados pelo Jeep da Equipe Sons of the Beach (Eu e o Marcelo).

Retribuindo os desatolamentos que fizemos, o Maurício, da Equipe Procurando Nemo, salvou a minha vara. Explico: o foguete de 10 minutos para final tinha sido disparado, eu recolhia e lavava a mesa de iscas e o Marcelo retirava uma das três varas. Após lavar a mesa de iscas, notei que tinha apenas uma vara. Perguntei ao Marcelo se ele já tinha retirado duas varas e a resposta foi "não". Passamos então a procurar na água e o Marcelo avistou a vara boiando a uns trinta metros da margem, no setor da Equipe Procurando Nemo.

O Maurício não contou conversa, e antes que fossêmos buscar uma vara para "pescar" a vara, o Maurício pulou na água, nadando passou a arrebentação e recuperou a vara. A espera (fincador) se foi, mas a vara, uma Killer de 4,05m com passadores Low Rider e com um molinete Daiwa Emcast 6000, ainda bem, foi recuperada. Obrigado Maurício.

O de estranhar é que não tinha peixe e a cravação que faço da espera é por sucção, clique aqui para ver, então a metade (cerca de 50 cm) fica enterrado, bem enterrado.

2 comentários:

  1. Show o tópico Milton, muito boa etapa com uma grande diversidade de peixes...

    Abraços!!!

    ResponderExcluir
  2. Grande Idalino, obrigado pelo comentário. A betara que foi recorde por aqui é uma das pequenas que ví em suas fotos.

    ResponderExcluir

Obrigado por seu comentário.