caiaque bahia

caiaque bahia
Visite o Caiaque Bahia - clique na imagem

terça-feira, 28 de junho de 2011

Mesmo local, no inverno e no verão.

É incrível o trabalho do mar relocando a areia da praia.


Comparei duas fotos, uma feita em fevereiro de 2011 e outra feita agora em junho de 2011, semana passada, do Buraco do Padre (clique na foto para ampliar).
Caso alguém chegasse hoje no Buraco do Padre com a foto feita em fevereiro, não reconheceria o local.



segunda-feira, 27 de junho de 2011

Pescarias do Feriadão

Nesses dias em que tenho a atenção voltada para a saúde de meu pai, que continua na UTI mas em um processo de lenta melhora, fiz duas pescarias de pouco sucesso.

Na primeira, na manhã do último sábado no Flamengo, na excelente companhia de Jair Dos Bitelos e da Tarsila e em golpe de sorte por ter visto o momento exato da batida do peixe, evitando que cortasse a pernada, capturei este guima (baiacú arara).
Que rendeu 280 gramas de excelente filé, preparado por Lindinalva para nosso almoço de sábado.

No domingo pela manhã, no Buraco do Padre, peguei apenas dois peixes. Um deles foi este minúsculo linguado, (peixe tapa) logo solto. Note a perfeição da camuflagem do peixinho com o fundo de areia.
E olha que eu estava com três varas, uma para cada canal da praia, uma a 10 metros, outra a 40 metros e outra a 90 metros.
Já o simpático casal que pescava com "barandão" (linha de mão enrolada em tubo de PVC, tendo velas de carro como chumbada), o Cléber e a Janaína, capturaram esta aratubaia (pampo bandeira ou aracanguira) e perderam um enorme linguado de quase um quilo, que soltou-se do anzol, já na areia, e foi levado pela arrebentação.


sexta-feira, 24 de junho de 2011

Pescaria em Sauípe IV - Pesca Noturna

No dia 18 eu, Joel, Cesar Bigode, Ruy, Felipe, Pernambuco e Dona Preta fomos a Porto Sauípe para uma pescaria que adentraria a noite.

Saí daqui de casa 'as 13h00 horas, cheguei em Sauípe as 14:00 e encontrei Deco e o Felipe chegando e Cesar, Pernambuco e Dona Preta já pescando. Só tinham até então capturados alguns bagres minúsculos, que foram soltos. Demorou mais um pouco e chegaram o Ruy e o Joel.

Logo após ter chegado, Joel fez a primeira captura notável: o "triplê" da foto abaixo.
Algum tempo depois, Cesar Bigode fez a captura deste bom cabeçudo (xaréu jovem).
Em seguida, foi minha vez.
O Deco capturou um bom bagre, mas como estávamos distantes, não tive fotos. Ele "vacilou" com o bagre e levou uma ferroada.

O Ruy, estreando a Marine Power Surf recém consertada, capturou um bagre, vacilou e também levou sua ferroada. Com bagre, não dá para vacilar. Lá mesmo em Sauípe, em 2009, eu tomei a minha também, clique aqui para ver. Desde então, ando no cinto com dois alicates, um deles longo, para os bagres.

A noite caiu, e ficamos eu, Joel e Ruy. As 19h00 eu já estava com a fieira da foto abaixo. O barbudão pesou 620 gramas.
Já nos arrumando para sair e o Joel capturou um "dublê", com um barbudão de tamanho quase igual ao que peguei.

Chegamos em Salvador por volta das 21h00. Porto Sauípe está nos "devendo àquele peixão".


Consertando uma vara Marine Power Surf

Explico porquê andei sumido:

Esta semana o "bicho pegou". Meu pai teve uma crise respiratória em pleno terminal de ônibus e que graças a pronta ação da Ivonildes que o acompanhava, uma guarnição da PM que o transportou e o bom e rápido atendimento no Hospital Aeroporto, teve um desfecho positivo. Contribuiu muito também a intervenção de Lindinalva e Ana Luiza, que chegaram antes ao hospital e anteciparam o quadro do paciente que estava para chegar.

Ele evoluiu de um diagnóstico inicial de falência pulmonar (fumou dos 12 até os 69 anos, hoje tem 84 anos) para infecção respiratória, e amanhã o respirador já deve ser retirado. Isto me anima em voltar a postar.

O caso foi o seguinte: Nossa amigo Ruy da Sandália Rosa em uma pescaria que fizemos no dia 12/06, junto com mais três amigos, e que eu não postei porque apenas um pescador pegou peixes (um desses peixes foi uma ótima carapeba de 600 gramas), deixou sua vara neste estado:

Imaginamos que o Ruy, no desejo desenfreado de lançar logo a linha na água, não encaixou direito a parte da vara e resultou nisto ai. Como eu tinha ido pescar com duas varas, cedi uma para ele e pesquei com apenas uma.

Depois de muita gozação e algumas cervejas, disse para ele que eu conseguiria consertar e que não ficaria nada digno de um Anselmo, mas que seria efetivo. Ele duvidou que a vara naquele estado pudesse ser consertada e isso me motivou.

Quando cheguei em casa deixei a vara ao sol, secando, e no final da tarde lavei a parte partida, cerca de 15 cm, com isopropanol e lixei com uma lixa 400. Voltei a lavar com isopropanol para retirar o pó da lixa e depois de seca passei resina epóxi (cola Scoth Mix) nos primeiros dois centímetros da parte quebrada, inclusive na parte interna das tiras (geratrizes), e peguei linha Linhanil 60 e comecei a enrolar na vara, como eu estivesse colocando um passador.

Mas a Linhanyl não suportava a tração necessária para colocar as tiras partidas no lugar e, partia antes que as tiras chegassem para o lugar. Apelei então para uma linha de multifilamento de 0,15 mm, de 20 libras (quase 10 quilos), e consegui ir arrumando e colando as tiras partidas.

Para que a resina não colasse na segunda seção da vara, que estava encaixada servindo de molde, passei vaselina na parte do encaixe.

E fui repetindo a mesma coisa, de dois em dois centímetros, até que ficou toda colada e enrolada e com as tiras relocadas e coladas.
No dia seguinte, à noite, o Ruy esteve aqui em casa para trazer mais resina para que eu terminasse o trabalho e adorou a cor rósea da linha que usei para fazer a amarração.

Como a vara Marine Power Surf é uma vara de grafite, de pouca resistência a esforços ortogonais, apliquei duas demãos de resina. Pena que não fotografei.

No dia18, em uma pescaria em Porto Sauípe, vide próximo relato, o Ruy estreiou a vara e funcionou muito bem. Hoje, dia 24, dei um passeio pela praia e encontrei ele e o Cesar Bigode pescando no Caporal e a vara lá, em pleno uso.

Não jogue fora sua vara de grafite quebrada. Ela pode ser restaurada.


domingo, 19 de junho de 2011

Um ano sem o Paiceiro Célio

Há exato um ano perdemos o Pescador Célio.

Como todo dia lido com pesca de praia, seja pescando, postando ou simplesmente ao entrar aqui no gabinete, apinhado de materiais e coisas de pesca de praia, posso dizer tranquilamente que não se passou um dia sem que eu tivesse pensado no amigo.

A paixão de Célio por sua esposa Sônia, pela família e pela pesca de praia me marcaram para toda a vida. Seu flair play na pesca e na vida me serviram de exemplo e hoje sou um homem e pescador muito melhor do que antes de tê-lo conhecido. Inesquecível amigo Célio.



sábado, 11 de junho de 2011

Pescaria no Buraco do Padre

Hoje amanheceu um belo dia para pescar, mas eu tinha algumas coisas a fazer em Salvador.

Às 10h00 tinha cumprido minha agenda e enviei um QTC geral pelo celular perguntando se alguém ia pescar à tarde. Quase que imediatamente o Ricardo Carvalho respondeu que já estava pescando no Buraco do Padre, aqui pertinho, ele e Fabian.

Arrumei as tralhas, peguei umas cervejas e fui andando encontrar com eles. Cheguei, cumprimentei os pescadores e antes mesmo de eu armar a primeira vara, a vara de Ricardo "bateu" violentamente. Peguei o celular e fiz as fotos e o filminho que estão a seguir.



Festejamos a captura e mal acabei de lançar minha vara foi a vez da vara de Fabian bater violentamente. Mais uma bicuda.
Antes destas duas bicudas, o Ricardo Carvalho já tinha capturado uma outra, mas um pouco menor, antes de minha chegada. Tinham também perdido várias "pernadas" com anzóis cortadas pelos dentes afiados das bicudas e tinham colocado "pernadas" de aço. As "paradas" (chicotes) que estavam usando também eram longas e jogavam perto para a "pernada" de cima ficasse quase na superfície, já que as bicudas "comem em cima". A isca era pititinga.

Ao ver tantos peixes, um outro pescador que pescava mais ao sul, o Gustavo, veio para perto e abrimos espaço para ele lançar uma vara.

Pescamos até as 13h00 e tive que me contentar com a garoupinha da foto abaixo
Imediatamente solta.

Respondeu ao QTC também o Joel, que irá pescar amanhã com o Bigode e o Ruy da Sandália Rosa. Vou comemorar o Dia dos Namorados hoje para ver se vou com eles.

sexta-feira, 10 de junho de 2011

Pescaria Noturna no Buraco do Padre

Combinei com o Fabian realizar uma pescaria noturna na última segunda feira, dia 06. O tempo, chuvoso e com muito vento, nos fez desistir.

Consultei então como seria o tempo nos próximos dias na página da Secretaria de Agricultura do Estado Bahia. Vi lá que na quarta feira, dia 8, teríamos tempo bom com ventos de apenas 13 km/h. Chegou a quarta feira e a previsão se confirmou inteiramente: uma noite maravilhosa, temperatura amena e praticamente sem ventos. Fabian quis o endereço da página da previsão do tempo que eu consultei e segue ela abaixo:


Note que a tábua de marés com todos os portos da Bahia está logo abaixo dela. A última etapa do Campeonato do Clupesal foi também remarcada a partir de informações deste site e tiveram 100% de acerto. Os técnicos da SEAGRI estão de parabéns.

Roberto Martins me fez uma visita na terça feira, quando comemos um escondidinho e bebemos umas cerveja, e o convidei também.

Na quarta feira, nos reunimos aqui em casa e fomos andando para o Buraco do Padre. Clique aqui para saber onde fica o "Buraco do Padre". Fabian foi de carro e estacionou no Camping de Itapuã.

Iniciamos a pescaria 'as 06:00 horas e foi uma longa espera até a primeira ação: um barbudo (parati) bem grande.


Logo em seguida, um pampo.

Quando fui baixar as fotos, notei que fiquei sem nenhuma foto que prestasse para publicar do Fabian. E do Roberto Martins, só esta, com a lente manchada pela névoa da arrebentação.

O resultado foi que levei um barbudo e um pampo, Roberto dois barbudos e Fabian um bagre.

Em casa pesei e fotografei o barbudo.
Agora é planejar a próxima.



segunda-feira, 6 de junho de 2011

Diário de Torneio XVI

Nesse final de semana aconteceu a Última Etapa do Torneio Individual do Clupesal, versão 2011. O oitavo torneio individual da história do Clupesal e o décimo quarto torneio de longa duração (aproximadamente seis meses).
Como fato notável tive a captura do pampinho da foto acima, fisgado a cerca de 80 metros da praia e apesar do pequeno tamanho o pampinho deu um show com cerca de quatro grandes saltos. Mas se este pampinho deu "um show", imagine o que fez o pampo da foto abaixo.

Seu Belo, o autor da captura, mal podia se conter de alegria, assim como nós. O maior peixe do torneio, recorde de peso.

Já passavam das 15:30 quando Lindivalva veio me dizer que alguém de calção vermelho, na última raia, já "brigava" há mais de meia hora com algum peixe grande. Eu disse que se tratava de Seu Belo, e ela foi caminhando para o local foi quando vimos de longe Seu Belo colocar o peixe no seco.

Pesado, a balança acusou 5,800 kg, descontado o minúsculo baiacú.
Pra ter uma ideia, o segundo maior peixe foi do Joel, a arraia da foto abaixo.
Os dias de pescaria foram maravilhosos, com São Pedro (um pescador) colaborando intensamente, pois parou de chover no sábado pela manhã e voltou a chover no domingo a tarde, uma verdadeira "janela" no mau tempo, permitindo a realização da etapa. Na foto abaixo, como encontramos o acesso a praia.
Mas foi pouco para deter esse pessoal com vontade de pescar.
Mesmo não tendo participado de um dos dias de pescaria, tive um desempenho que indica que tenho que melhorar. O resultado da etapa e Torneio será publicado na página do Clupesal, clique aqui para acessar.



quinta-feira, 2 de junho de 2011

PDP - Os Maiores Pescadores e Surfistas

Mas não estou me referindo ao pessoal do Clupesal, não.

Encontrei o link para este vídeo da BBC que está no Youtube no ótimo site Pescaria no Rio Tietê e reproduzo aqui.

As ações de pesca de praia se iniciam após os um minuto e quinze do vídeo.