caiaque bahia

caiaque bahia
Visite o Caiaque Bahia - clique na imagem

quarta-feira, 8 de setembro de 2010

Carretilha Sem Devanador - Adaptando uma MS Caster 400

Embora "o sucesso na pescaria esteja associado aos itens que fazem a interface com o peixe, a isca e o anzol" continuo na busca do aprimoramento de lançamento a maiores distâncias.

Você deve ter notado que a assertiva acima está entre aspas, pois não é minha, e sim do Ervin Bobel, um grande pescador de praia. Mas pego a assertiva para mim por concordar integralmente com ela, pois você pode até pescar com um cabo de vassoura e uma linha grossa de tapeceiro, mas se tiver no local certo, com a isca certa e o anzol certo, você terá sucesso. Basta ver o caso do Isaac, nativo de Stella Maris, no post abaixo do dia 06/09.

Bem, continuando com o post, estou buscando uma carretilha que se preste para o surfcasting, mas sem devador. Achar uma carretilha desta é até fácil, o que complica é que uso carretilha com manivela à esquerda, ou como brinca o Márcio Idalino: "com a manivela do lado errado".

Mas será que vou adaptar-me a usar carretilha sem devanador?
O papel do devanador é fazer a distribuição da linha no tambor da carretilha e ele trabalha sincronizado com a rotação do tambor. Isso exige engrenagens adicionais e como não há movimento sem atrito, você acaba perdendo em distância no lançamento e em esforço, embora insignificante, no recolhimento.

Nas carretilhas da ABU Garcia, as que não têm devanador, ou "level wind", são designadas por "CT" e as com devanador, "CS". Vai saber por que diabos! Aliás as designações da Abu merecem uma consideração e clique aqui para acessar um glossário dessas siglas (em inglês).

Mas o que incomoda mesmo é o nó do líder no lançamento, batendo no devanador, por mais aprimorado que esteja o nó. Já tentei a soldagem de linha, mas descola ao menor "tufo" de sargaço.

Um outro problema causado pela existência do devanador é o sincronismo com a linha: se sua linha quebra e o tambor gira em falso, você tem que sincronizar direitinho, para não ter a linha enrolada no lado esquerdo do tambor, com devanador a esquerda, ou ainda a linha desenrolando para um lado e o devanador indo para o lado contrário.

Como possuo duas carretilhas MS Caster, de baixo custo, ocorreu-me que posso retirar o devanador de uma delas para testar se me acostumarei sem ele. Fiz uma busca na NET e vi que o pescador Mário Túlio, de Recife, já tinha pensado também nisso, clique aqui para ver o post no Guia Pesca de Praia, o que encorajou-me a fazer a mudança. Pesca de praia é assim, como os pescadores são muito inventivos, alguém já pensou antes no que você quer fazer. Como a mudança é reversível, pus mãos à obra.

Abri a carretilha retirando as duas tampas laterais, usando a "chavinha" original que vem com elas e retirei todas as peças que interfaceiam com o devanador (veja foto abaixo). Como em um dos lados do chassis ficou um furo, tapei provisoriamente com uma fita adesiva amarela. Veja na foto.
A única peça que tive problema para retirar foi a chapinha em meia-lua, pois inferi que ela era cravejada e estava buscando uma forma de retirar o cravo, quando bati a carretilha sem querer na mesa e a pecinha deslizou para fora. O problema era eu :-).

Testando
Usei pela primeira vez no dia 06/09, no Flamengo. Montei ela em uma vara Killer de 4,05 m e fiz o primeiro lançamento com o freio fechado e sem força. Lançou bem e, é claro, não senti o nó de líder. Mas o que interessava mesmo era o recolhimento: estava difícil, a linha pesada devido ao sargaço e a linha se amontoava em um só local do tambor da carretilha. Também a travessa superior, a qual não pude tirar pois faz parte da estrutura da carretilha, impede que eu use o dedo polegar para conduzir a linha.

Fiz o segundo lançamento, agora já com força e com o freio mais solto, e quase esvaziei os 100 metros da linha 0,30 branca. Devo ter alcançado uns 95 metros, nada muito diferente do que faço com a carretilha com devanador. Fui então trocar a isca da outra vara que estava ao lado.

Mal lancei a segunda vara, a vara Killer bateu. Corri, peguei a vara e comecei a puxar. Como o peixe não proporcionava uma boa briga, fui recolhendo com calma e movimentando a carretilha lateralmente, alternadamente para esquerda e para direita e a linha ia se arrumando de forma não muito "bonita", mas aceitável. Dei "ponta de vara" e levei o peixe para o seco. Um vermelho de uns 35 cm, muito bonito. Saborosíssimo, foi meu almoço no feriado de 7 de Setembro.

Lancei mais algumas vezes, mas como Júnior e o Iuri tinha chegado e estavam pescando mais ao norte, fiquei uma parte do tempo aproveitando a presença deles.

Concluindo
É possível sim, que eu me acostume com uma carretilha sem devanador. O teste que fiz, mesmo prejudicado pelo sargaço, indica que não devo desistir e farei um novo teste em situações climática e de mar (sem sargaço) mais favoráveis.

Dica
Se você está pensando também em usar carretilhas em sua pescarias, veja como foi minha experiência inicial com essas maravilhosas maquininhas, clicando aqui.


4 comentários:

  1. olá pessoal!
    fala Miltão, sempre com novidades...passo sempre e aprendo mais. em questão às carretilhas sem devanador. o pessoal de fora lá pelo sul do país usa muito.
    tenho uma daiwa sealine que penso em tirar o devanador pra pescar no mar, falicita o traquejo e aumenta a habilidade do pescador na briga com o peixe, ainda possuo um penn 114 de mar aberto perfil redondo e alto e já vem de fábrica sem devanaor, então vejo que essa idéia pode ser aplicada sem muitos danos na PDP e fica bacana, o cuidado deve ser tomado no momento de recolher a linha, deve se aplicar um pouco de presão como se estivéssemos enrolando o carretel pela primeira vez na carretilha. sempre uso uma luva nos dedos, pois sempre dar uma fritada neles, rsrsrsrs.
    um forte abraço a todos!!!

    ResponderExcluir
  2. O comentário acima é do Anselmo, um artista na customização de varas de pesca. Obrigado pelo comentário, Anselmo.

    ResponderExcluir
  3. Olá Milton

    Realmente as carretilhas sem devanadores andam muito, não tem problema de sujeira na linha batendo no arremesso no devanador, e claro distancia aumenta, mas nem tudo é uma "joinha" o recolhimento tem que distribuir a linha no dedo mas com o tempo vc se acostuma, as minhas ABU'S sem devanadores pesco normal com elas tanto de dia como a noite sem problemas questão de costume, e tenho uma CT com kit de longcasting está sim anda muito, o probelma é parar..hahahahah

    Abraços...

    ResponderExcluir
  4. Grande Idalino, obrigado pelo comentário. Achar uma Abu CT com manivela esquerda é um desafio. Mas eu chego lá. O difícil tem sido praticar, pois o ritmo intenso no trabalho me afastou do blog e das pescarias. Um abraço.

    ResponderExcluir

Obrigado por seu comentário.