caiaque bahia

caiaque bahia
Visite o Caiaque Bahia - clique na imagem

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Pescaria em Sauípe II

No domingo, fui junto com o Jair Dos Bitelos, Kesso Xaréu, Laís, Ricardo e Carol para Porto Sauípe.

Saímos do Shopping Litoral Norte as 05h30m e chegamos em Sauípe por volta da07h00min. Levei como iscas dois "cartuchos" de pititinga congelada, compradas no sábado, mas que praticamente não utilizei devido a excelente pititinga fresca levada pelo Ricardo. Ele acordou cedinho e foi comprar no Cristo, lá na Barra.


Logo que chegamos notamos que a maré puxava para a direita e já fomos logo colocando as chumbadas piramidais de base triangular, de 125 e 150 g. Se não funcionassem, teríamos que utilizar as chumbadas de garra, bem desconfortáveis. Mas não foram necessárias, já que as piramidais deram conta do recado, principalmente para mim que pescava com linha 0,26 e 0,31, menos sujeitas ao arraste da correnteza.

Passamos algum tempo sem pegar nada, mas quando começou foi um atrás do outro. O Ricardo, pescando com uma vara na "espuminha" e outra distante, cansou de pegar peixes. Eu peguei um "triplê" e ele logo em seguida, também.




Como a maiorida dos peixes eram bagres e barbudos (paratis) em torno das 100 gramas, fomos cuidadosamente soltando-os e levamos apenas os maiores. Trouxe para casa cinco barbudos grandes e hoje almocei dois deles. Nesses quinze últimos dias, apenas em três dias não almocei peixe que eu tenha pescado.

O Jair, pescando unicamente lá fora, em busca dos bitelos (para fazer jús ao apelido), "doou" ao Ricardo os peixes que pegou. Como ele buscava os grandes pampos, xaréus, arraias e cações, recusou-se a ser fotografado com peixes "tão pequenos".

Durante a pescaria quebrei um recorde: perdi 5 pernadas. Três delas por culpa da trava do carretel da carretilha Sumax 510L, que acionava sozinha durante o arremesso, uma por ter ficado presa na areia e outra devido a linha Maruri SS ter ficado puída por roçar nas pedras e partir em pleno arremesso, fazendo uma tremenda cabeleira. Eu estava lançando a 100 metros e não sabia que tinha pedras. Só soube disso hoje ao verificar em casa que parte da linha estava cheia de "dentinhos" (puída). Ainda não descobri o que aconteceu com a trava da Sumax.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por seu comentário.