caiaque bahia

caiaque bahia
Visite o Caiaque Bahia - clique na imagem

quarta-feira, 30 de março de 2011

Bitelos no Principado de Stella Maris

Recebi as fotos abaixo e o relato, que reproduzo abaixo, do amigo Ruy da Sandália Rosa.



Segue o relato:

"Chegamos a Barraca Caporal em torno de 06:30 da manhã do domingo. A isca estava sumindo sem bater nada, usávamos pititinga e camarão, eu pensei... deve estar cheio de siris, pois eu observei que durante o período que eu pesco ai em Stella logo após o sargaço aparece muito siri. Estava conversando ao lado de minha vara na qual coloquei duas pititingas e um camarão inteiro e descascado no anzol de baixo (um norueguês cara torta nr 10).

Meu amigo, a ponta da vara, aquela que você consertou para mim, foi na areia ai só foi trabalhar o danado que correu para beira, facilitando um pouco o meu trabalho, diferente de Pernambuco que o bichinho deu um trabalhão, pois o mesmo estava com uns daqueles anzóis que voces usam no torneio do Clupesal ai ele teve que ter mais cuidado, mais no final o placar foi: Ruy Pampo de 3,5 Kg X Pernambuco Pampo de 2,5 Kg (pesagem de Joel).

Foi o que aconteceu na pescaria onde estávamos eu, Joel, que pegou uns barbudinhos e umas corvinas no local batizado como Buraco do Joel, Pernambuco, e o nosso maior pecador, o César Bigode, e um mais novo colega, o Cristiano, do Jornal A Tarde.

Valeu, foi muito emocionante, você sabe como nós ficamos quando acontece uma dessas!!!! Mais você também foi bem na segunda gostei e parabéns.

Forte abração"

Parabéns, companheiros.

As fotos são de autoria do Monsieur Bardot, àquele que decaptou a Maria Antonieta.


terça-feira, 29 de março de 2011

Amor à vida, aos brasileiros e ao Brasil.

Nasceu pobre, seu trabalho o tornou rico.

Desde que assumiu a Vice Presidência em 2003, quase 20 milhões de brasileiros saíram da pobreza e outros 32 milhões de pessoas no país melhoraram sua situação socioeconômica.

Descanse em paz, grande homem

segunda-feira, 28 de março de 2011

Pescaria no Flamengo III - Só bitelos

Hoje acordei tarde, dia de folga e eu com uma ressaca gastronômica do ótimo almoço de ontem.

Como amanheceu um dia lindo, por volta das 07h00 pedi a Lindinalva para levar-me ao Flamengo. Como não encontrei com quem ir, ficar lá sozinho na praia deserta e tendo o carro como chamariz, exposto, não é uma boa, ela levou-me e eu fiquei de voltar andando para casa.

O local de pesca no Flamengo é, para mim, sagrado. Lá foram espalhadas as cinzas do inesquecível Paiceiro Célio, bem no lugar que ele adorava pescar.

As 07h30min já estava pescando quando em uma violenta batida capturei o belo peixe galo da foto abaixo. Não foi um galo bandeira, como o de Nonato no sábado, vide post daquele dia, mais foi um peixe galo imenso.
Logo em seguida outro galo, este um pouco menor. Quinze minutos depois, uma boa guaricema (peixe da família do atum). Com a praia deserta, as únicas pessoas que passavam estavam correndo e eu não quis atrapalhar, então não tirei fotos logo após a captura.

E então veio um paradeiro total. As iscas voltavam apenas "pinicadas", sinal de siri ou peixes muito pequenos.

Como estava usando pititingas, troquei para o camarão e usei paradas com anzóis circle 6. Isquei o camarão a "Roberto Martins", ou seja, inteiro e com o anzol passado no centro.

Não demorou cinco minutos e a ponta da surf coast quase tocou a água em uma violenta batida. Trabalhei o peixe por uns cinco minutos e quando ele estava na espuminha, deu um pulo e soltou. Corri e comecei a chutá-lo, pois já sabia que era uma guaricema, até o seco e o peguei. Esta captura não me deixou orgulhoso, mas foi o almoço meu, de Ana Luiza e Lindinalva.

Isquei de novo e novamente outra batida violenta e outra guaricema do mesmo tamanho.

Dei-me por satisfeito e as 10h00 iniciei a caminhada de volta para casa, quatro quilômetros de praia exibindo os troféus abaixo que não couberam no samburá. As guaricemas não são pequenas, não - O peixe galo é que é enorme.
Quando já iniciava a caminhada apareceu um banhista, simpático de nome Luiz Gonzaga. Ficamos conversando sobre pesca e foi ele que tirou a foto abaixo.


7º Aniversário do Clupesal

Ontem o Clupesal comemorou sete anos de existência.

Na verdade, o aniversário é hoje, data em que os seus fundadores, André Luiz Santana Barbosa, André Maurício de Souza Farias, Antonio Luiz da Hora Barros, Ervin Bobel Neto, Guilardo José Farias, Mário Sérgio Rocha de Assis, Marlon Ilson Sampaio Porto, assinaram o seu estatuto.

Clique aqui para conhecer a história do Clupesal.

Abaixo, fotos do almoço de comemoração.






sábado, 26 de março de 2011

Fabricando Chumbadas Tipo Pião

Caro Amigo, antes de ler este post recomendo expressamente que leia os post anteriores sobre fabricação de chumbadas, clicando aqui, e atente para as recomendações de segurança.

Trabalhar com fundição de chumbo envolve riscos seríssimos os quais recomendamos que não corra caso não se cerque de todos os cuidados necessários. Se tiver dúvidas, não faça. Compre pronto.
Chumbada Pião vendida pelo site www.boaisca.com.br

Em uma das pescarias que fiz no mês passado o Adelson Lima falou-me das vantagens do uso da chumbada pião. Ele possuía algumas, presentes do amigo Ervin. Consultei na NET e encontrei várias referências e algumas discussões a respeito do uso da chumbada pião e resolvi experimentar.

Como sai muito caro comprar pouco chumbo via Internet, devido ao frete, resolvi que iria fazê-los.

Como não tinha madeira aqui para fazer uma caixinha, peguei um tubo de PVC de 40mm que uso para fazer " esperas" e cortei um pedaço de 6,5 cm.
Depois dividi o pedaço exatamente no meio.
O passo seguinte foi preparar a chumbada matriz e a dificuldade é calcular para que a matriz em durepóxi tenha o peso que você quer de chumbo. No caso, exatos 130 gramas, igual as chumbadas vendidas na Boa Isca.

Resolvi da seguinte forma: busquei na Net a densidade do durepóxi e não encontrei e tive que calcular usando como referência uma matriz em durepóxi de uma chumbada piramidal que fiz há algum tempo.

Achei uma densidade para o durepóxi de 2060 kg/m3, o que me leva a concluir que cada grama de uma matriz de durepóxi equivale a 5,5 gramas de uma cópia em chumbo. Mas como eu ia fabricar a matriz a partir de uma chumbada esférica de 106 gramas, teria então que fabricar o molde usando a chumbada esférica e mais 4,4 gramas de durepóxi.
  • 4,4 gramas durepóxi irão gerar uma cópia de chumbo de 4,4 x 5,5 = 24,2 gramas
  • Como o peso da chumbada esférica (parte de cima da chumbada pião) é de 106 gramas. somada ao peso adicional de 24,2 gramas, dará 130,2 gramas no total.
E a matriz ficou assim:
Para poder ter por onde colocar o chumbo derretido na forma, peguei uma tampinha de frasco de remédio e colei na parte superior da chumbada.
Peguei então os dois meio-tubos e fechei suas extremidades com um acrílico fino transparente e parti para fazer a primeira metade do molde.
Para saber como fazer o molde em gesso, não deixe de consultar o post citado no início. Em seguida a foto do meio molde já feito.
Em seguida, usando silver tape juntei a segunda parte do tubo de PVC e completei com o gesso. Antes passei vaselina na face do meio molde que estava cheio e fiz buracos com a chave de fenda para criar "pinos" de orientação de encaixe.
Aguardei secar por três horas e fiz o desmolde. Abaixo a matriz e o molde para receber o chumbo.
No dia 12, dia que antecedeu a Terceira Etapa do torneio do Clupesal, com a ajuda do Bruno e do Eduardo fizemos cerca de 20 chumbadas piramidais e quatro chumbadas tipo pião, apenas para testes. O peso não ficou exatamente o calculado, variando em cerca de 5%, o que considerei bem próximo do peso perseguido.


Face ao sucesso, irei produzir agora com outros pesos. Só me falta tempo.


Pescaria no Buraco do Padre - Testando a Surf Coast

Hoje aqui no Principado de Stella Maris amanheceu sem vento e com a pressão atmosférica em baixa, claros indícios de que teríamos chuvas durante o dia.

Aproveitei para ver como se comporta a nova configuração da vara Surf Coast de 4,20 m, com um molinete Emcast 6000, 150 metros de multifilamento 0,14 da Sumax, 9 metros de leader com a linha Traíra 0,60 e uma chumbada pião de 136 gramas.
A chumbada pião, de fabricação própria, com o selo FQ (Fundo de Quintal), tem se revela uma ótima opção à chumbada piramidal. Depois posto como estamos fabricando elas.

Cheguei no Buraco do Padre por volta das 07:00 e já encontrei um pescador com a linha na água e outro também chegando. Há 15 dias sem pescar, cheguei e fui logo montando a vara e lançado próximo sem pretensões de grandes distância e em seguida fui cumprimentar os colegas. Cumprimentei o pescador que chegou junto comigo e fui cumprimentar o segundo pescador e tive uma grata surpresa, era o Fabian, conhecido de velhas pescarias. Não o reconheci logo de início, pois estava um pouco afastado de onde ele estava. Fabian me disse que tinha chegado bem cedo e não tinha tido nenhuma ação.

Fiz vários lançamentos com o conjunto e ele está ótimo: lançando muito bem, mais de 100 metros, a chumbada fixando bem, sem correr, e muito fácil de recolher, praticamente sem peso. Recolhi as primeiras vezes com muita ajuda da vara, pois a linha faz ruídos nos passadores, mas devido a pouca resistência da chumbada no recolhimento, cheguei a embaraçar a linha e tive que cortar uns 20 metros dela. Passei a recolher sem a ajuda da vara e ficou tudo bem. Acertei no equilíbrio do conjunto.

Quanto aos peixes, eu amarguei um sapato. O Fabian até a hora que eu sai, às 09h30min, também. Mas o Nonato, o pescador que chegou junto comigo, pegou este belo galo de cerca de 500 g.
O galo foi tão bonito que o Fabian também fez uma foto com ele.



sexta-feira, 25 de março de 2011

Aniversário do Clupesal

Desculpe pessoal, fiquei fora do ar por problemas pessoais e muito trabalho.

No dia 19 deste recebi do André Barbosa para o 7º Aniversário do Clupesal e apenas agora estou colocando aqui.

Estarei lá.


sexta-feira, 11 de março de 2011

Guilardo em Sítio do Conde

Recebi de Guilardo Farias, um dos fundadores do Clupesal, patriarca de uma família de grandes pescadores e um Ícone da Pesca de Praia da Bahia, a foto abaixo. Não resisti e fui em busca de detalhes.
Mandei um e-mail perguntando-lhe dos detalhes e hoje, gentilmente, ele respondeu:

" Prezado Milton , Grande Pescador , o aborto de sorte ocorreu no Curral Falso , Bagre pesando 8.700 gramas , chamado comumente de Bagre Ovelha . Vara de 4.20 mts , Nylon 0.35 especial com arranque de nylon comum 0.50 , isca de camarão . Anzol da sucata de 25 anos atrás , do tempo ainda de Vilasboas , Mustad Norueguês , acho que 10 ou 12 . A maré estava quase na preamar , foi lá perto das 3 horas da tarde . Edir tratou com facão e machado"
Um grande abraço
Guilardo"

Na foto abaixo, ele com seu Edi, proprietário da Pousada Hawai e amigo nosso.
O que o Guilardo, modestamente, chama de "aborto de sorte" é o encontro da oportunidade com a competência, que não lhe falta. Parabéns Guilardo.


terça-feira, 8 de março de 2011

Pescaria em Massarandupió II

Fomos na segunda feira de carnaval a Massarandupió, não só para pescar, mas também com firme intenção de um "churras" à beira do Rio. Na noite do domingo emiti um QTC Geral pelo celular informando do propósito e responderam o André, Bruno, Adelson e Marcelo. Marcelo e Edna não puderam ir.

O Adelson e o André saíram de Salvador às 04h00 e nós, eu, Lindinalva, Ana Luiza e Bruno às 07h00. Seguimos a sinalização direitinho para não irmos para o lado naturista, já que naturismo com anzóis não se combinam. Este lado da praia de Massarandupió, o lado Sul, é certificada para a prática do naturismo. Se você não é adepto do naturismo, siga à esquerda nesta placa.
As 08:15 chegamos em Massarandupió e nos assustamos com a quantidade de barracas dos "fugitivos do carnaval", já que o local em dias normais é frequentado por pouca gente.
Paramos a viatura à margem do rio, já reservando o local para o churrasco, e fomos andando para a praia. Já encontramos o André e o Adelson pescando. Fui cumprimentar o Adelso e vi que o seu balde já estava pela metade de peixes, com alguns barbudos do tamanho de robalinhos.

Fui montar o material e vi ao longe que o André estava brigando com um peixe. Peguei a câmera e fui lá. Tai o que era.
Montei a primeira vara, lancei, montei a segunda, fiz o lance e fui conversar com o Adelson. Notamos eu e ele que houve uma leve batida, mas como em seguida ficou imóvel e parecia estar fixada na areia, voltei a conversar com ele. Mais tarde ao recolher para trocar a isca, a surpresa: senti o peso ao recolher e o peixe vinha se fixando ao chão, forçava mais um pouco e vinha mais um pouco, denunciando uma arraia. E foi mesmo:
Passado algum tempo, estávamos conversando os quatro, quando uma das minhas varas deu uma bela "batida", corri e apertei um pouco o freio pois a linha saia fácil. Comecei a recolher enquanto o peixe corria paralelo à praia em direção ao sul, como se fosse um xáreu, e fui acompanhando para não "dar mole" com uma multi de mais de ano e com anzol maruseigo 12. Poucos minutos depois coloquei na espuminha e o Adelson chegou com o bicheiro e cravou. A surpresa: outra arraia, do dobro do tamanho da primeira.
O tempo "fechou" e chegou até ter um chuvisco, que nâo nos assustou. Enquanto isso, o Bruno que até então só pegava garapaus, correu pois sua vara tinha dado uma bela batida. E foi um viola...
...cuidadosamente solto.
Peguei também diversos bagres, todos soltos, e ao final peguei esse dublê com um roncador de bom tamanho.
Encerramos a pescaria às 11h30 pois o André estava cansadíssimo. Ao retornar ao carro, a surpresa:
Nunca tinha visto tantos carros por lá. Se na chegada não tivéssemos parado o carro já "reservando" a beira do rio, não teríamos onde armar a churrasqueira. Foi um ótimo dia em ótima companhia. Seguem as fotos.

Na foto abaixo, um dos barbudos sendo preparado para assar.
O cuidado dos churrasqueiros,
E o André, só no guaraná, liberando o Adelson para "todas"..
O camarão que não foi usado foi parar na churrasqueira, por idéia do André. Ficou ótimo, segundo ele.
As fotos são de Lindinalva e Ana Luiza.




segunda-feira, 7 de março de 2011

Mais Sobre Pesca Noturna

Iniciei este post tem mais de dois meses e agora no carnaval fiz a conclusão.

Já postamos antes sobre Pesca Noturna, como você pode ver, clicando aqui. Quando fiz o último post sobre pesca noturna, recebi na parte de comentários uma dica do amigo pescador e blogueiro Márcio Idalino, clique aqui para acessar o blog dele, sobre a utilização de pó fluorescente para a pesca noturna. O comentário foi:

Mas báh tchê!!! esta pescaria rendeu em, muito boa, meus parabéns. Dica: existe um pó fluorescente muito bom para aplicar nas pontas das varas passa uma camada fina de resina coloca a ponta no pó e depois passa outra camada de resina fica muito bom..é apenas encostar um luminosidade nela que ela fica incandescente...eu apenas coloco na luminosidade da lanterna fica quase 1h com ótima visibilidade, depois é só passar a luminosidade da lanterna novamente. As minhas varas de pesca já fazem 2 anos que tem o sistema e estão iguais.
Qualquer dúvida prende o grito...


Abraços..

Ou seja, o pózinho (Aluminato de Estrôncio) quando exposto a luz "carrega" uma luminescência que pode durar desde alguns minutos até várias horas. O pózinho é utilizado em iscas e em chumbadas, como no ótimo trabalho do pescador Cravo, clique aqui para ver. Como é um material para aplicações de segurança, tem até norma NBR especificando ele.

Se você se interessou, o pózinho pode ser comprado na loja virtual do Momento da Arte, clicando na imagem abaixo.


Enjoy,