caiaque bahia

caiaque bahia
Visite o Caiaque Bahia - clique na imagem

terça-feira, 26 de julho de 2011

A Chumbada Filosofal

Nós pescadores estamos sempre em busca da vara ideal, a linha ideal, anzol ideal e chumbada ideal, tal qual os alquimistas buscavam a pedra filosofal que era capaz de transformar qualquer metal em ouro.
A chumbada ideal é àquela que tem boa forma aerodinâmica para permitir um bom arremesso, tem uma boa forma hidrodinâmica para ser recolhida sem resistência e que se fixa muito bem em fundos arenosos, compactos ou não. Além disto, a chumbada ideal não interfere com as pernadas dos anzóis, deixado-as sempre livre.

Todas as chumbadas que usei até hoje preenchem apenas parcialmente todos os requisitos acima.
  • Se a chumbada de garras fixa muito bem - é resistente ao lançamento, ao recolhimento e "embola" as pernadas.
  • Se a piramidal fixa bem - seu recolhimento é um tormento e não lança bem.
  • Se a tipo míssil e garrafinha lançam muito bem, recolhem bem e não embolam - a fixação delas é uma porcaria
  • A do tipo bola só é mesmo usado quando se quer "varrer" o fundo em busca de peixes.
  • A do tipo pião lança bem, recolhe bem, não embola - mas sua fixação é limitada, principalmente se o fundo for compacto e a correnteza estiver mais forte.
Nesta busca constante, deparei com com um catálogo da Distribuidora Gima, de 2008, a mesma que distribui(a?) as famosas varas New Competition e Reflex, com uma chumbada de forma inédita, ao menos para mim. Veja a página do catálogo, copiada abaixo.


Como no catálogo está a promessa de "fuerte agarro", não me contive e parti para fazer algumas dessas chumbadas para poder testar.

A primeira coisa a fazer para se ter uma chumbada é fazer uma cópia, a "chumbada master', em material trabalhável. É a partir desta "chumbada master" que será feita a forma, que irá gerar as chumbadas de fato.

Como sei a relação entre o peso da "chumbada master" em epóxi e o peso da chumbada de fato pronta, separei 25 gramas de Durepóxi tendo a certeza que terei uma chumbada de fato em torno de 135 gramas.

E na foto abaixo está a "chumbada master" em époxi. O peso ficou menor que as 25 gramas iniciais previstas, devido à "cura" do Durepóx e ao lixamento.
Na foto abaixo está a forma. Devido a falta do gesso pedra tipo IV, usei o tipo pedra III e ele estragou-se um pouco na primeira chumbada e não resistiu à moldagem da segunda chumbada, partindo todo. Como apenas irei testar a nova chumbada, duas unidades são suficientes, mas minha intenção era moldar quatro chumbadas, pois duas iriam para o amigo pescador Deco Loureiro, um pescador muito técnico e de elevado senso crítico. Paciência, depois faço outro molde com o gesso correto, se os testes mostrarem que vale à pena.
E nas fotos à seguir estão as duas unidades produzidas. Vou testar no próximo FDS e conto aqui como se comportaram.

O assunto "chumbadas" é tão presente, que ao fazer uma lista do que já postei sobre o assunto chegei a levar um susto. A relação está abaixo e clique nos títulos para ir aos posts.


2 comentários:

  1. ola amigo costaria de saber como fazer forma para chumbadas de gesso

    ResponderExcluir
  2. Olá amigo. O último link deste post( Fabricando Chumbadas Para Surfcasting) vai lhe levar ao primeiro post da fabricação de forma de gesso. Obrigado pelo comentário.

    ResponderExcluir

Obrigado por seu comentário.