caiaque bahia

caiaque bahia
Visite o Caiaque Bahia - clique na imagem

segunda-feira, 31 de agosto de 2009

Passadores Para Varas


Aos poucos trocarei todos os passadores de minhas varas para o tipo Low Rider, pois desta forma, utilizando uma distribuição adequada dos passadores ao longo da vara, estarei permitindo o uso simultâneo de molinetes e carretilhas.

O problema é que o jogo de passadores da Fuji têm preços que começam aos R$ 200,00 e o do tipo genérico não inspiram confiança e fazem um tremendo barulho quando usados com multifilamento.

Procurando na NET encontrei os passadores da marca ALPS (vide foto acima) os quais me parecem de boa qualidade. Encontrei também a loja que os vende a um preço justo, menos de US$ 30.00, sem o frete.

A loja é a ACIDROD e você pode acessar a página com os passadores clicando aqui.

Não esqueça de ver a página com a política de envio, pois eles não usam nenhum software de determinação do valor do frete, tendo que ser previamente consultado.


Se você está vendo um único post, clique na figura abaixo para ir ao Blog Milpesca

domingo, 30 de agosto de 2009

Arremesso com o chumbo no chão - off the ground cast

Os arremessos que faço na pesca de praia são sempre por sobre a cabeça, chamado de "over head casting". Costumo dizer que é uma maneira segura, pois você não expõe o equipamento a riscos de quebra, mas também não permite lançamentos muito longos.

O passo seguinte para quem busca o aperfeiçoamento dos lançamentos é o lançamento com o chumbo no chão, onde por rotação do corpo você consegue acelerar um pouco mais a vara. Já o sistema de arremesso em pêndulo é como um doutorado no lançamento e é usado nos torneios de casting.

Se o tempo estiver bom amanhã, irei pescar e praticar o "off the ground casting" com a vara Killer com os novos passadores low rider. Toda essa agonia é porque passei a lançar mais longe com carretilhas usando linha 0,35 mm do que com molinetes usando linhas 0,18mm. Depois de 32 anos usando molinetes, essa quebra de paradigma tem me incomodado.

Hoje eu encontrei uma defesa do estilo "off the ground cast" no blog do John Holdan, um inglês especialista em casting e que possui o blog "Vamos Pescar Na Praia", vide link na figura ao lado, e também autor do livro Long Distance Casting.

Em uma tradução, livre o post no blog diz: "Não despreze o estilo off the ground cast". Clique aqui para ler (em inglês).


Se você está vendo um único post, clique na figura abaixo para ir ao Blog Milpesca

sábado, 29 de agosto de 2009

Vara Killer com Low Rider - Troca dos Passadores III

Para ver o post inicial desse assunto, clique aqui

Apenas hoje estou postando o resultado da troca dos passadores originais da vara Killer de 4,05 m por passadores lowrider, por absoluta falta de tempo. Os posts anteriores sobre essa troca podem ser vistos clicando aqui.

Se na vara Rainbow Coral a troca dos passadores originais para lowrider "turbinaram" a vara, permitindo lançamentos muito mais longos, tanto com carretilha como molinete, na Coral a troca dos passadores originais para Low Rider não fizeram nenhuma diferença perceptível, apenas tornaram a vara mais cômoda para se transportar, já que os dois passadores fixos imensos, originais da Killer, foram removidos. Os testes foram feitos durante o torneio do Clupesal.

Também não houve ganho na transformação já que a Killer de 4,05 m, mesmo com os passadores originais, já permite o uso de carretilhas sem nenhum problema. Na foto ao lado veja como ficou a Killer com os novos passadores. Clique na foto para ampliar.

Se quiser ver os posts sobre a troca de passadores originais comuns ara passadores lowrider, clique aqui.

Para ver como a vara Killer de 4,05 m com os passadores originais comportou-se com uso de carretilha, clique aqui.






Se você está vendo um único post, clique na figura abaixo para ir ao Blog Milpesca

sexta-feira, 28 de agosto de 2009

TIRAR O ODOR DO PEIXE

Apesar de ser muito grande o prazer de fazer uma pescaria, não se pode negar que o cheiro de peixe não chega a ser um perfume muito agradável. Por isso vou da uma dica bem prática, coloque-o peixe em uma vasilha e despeje agua até cobri-la. Em seguida, adicione um copo de leite e deixe descansar por 20 minutos. Depois é só retirar o leite e temperar a gosto. Tenha um bom apetite.




Se você está vendo um único post, clique na figura abaixo para ir ao Blog Milpesca

quinta-feira, 27 de agosto de 2009

Vôo para o Flamengo

O amigo e pescador Augusto Bahia pediu uma dica de lugar para pescaria na Praia do Flamengo.

Preparei então este mapa e um vídeo com um "vôo" a partir do Viaduto Mário Andreazza, na Avenida Paralela.

Caso você tenha um GPS urbano, procure Alameda Hawai, Praia do Flamengo.

A seguir está o mapa. Se quiser ampliar, clique na imagem.

Eis o vídeo:



Lembro que no Flamengo aos finais de semana, a partir das sete e meia da manhã, a pratica da pesca de arremesso não é aconselhável devido ao grande número de banhistas, especialmente crianças, e surfistas. Eu tenho evitado.

Aos sábados e domingo chego as o5H00 e saio as 07h30m.

Nos dias úteis (principalmente para pescar, he he) não há problemas, é uma tranquilidade.

Enjoy.


Se você está vendo um único post, clique na figura abaixo para ir ao Blog Milpesca

quarta-feira, 26 de agosto de 2009

Transportando Chumbadas de Garras

Carregar na bolsa de pesca as chumbadas de garras é um problema.

Mesmo "desmontadas", elas ocupam um espaço precioso e suas extremidades afiadas pelo uso e de um aço extremamente duro (raio de roda de bicicleta) podem causar acidentes. Minha bolsa de pesca está com um dos bolsos perfurado pela maldita garra.

Nesse último torneio que participei, pela experiência dos anos anteriores, já sai de casa considerando a possibilidade de deparar-me com forte correnteza e levei quatro chumbadas de 150 gramas com garras. Minha previsão confirmou-se e elas foram de grande valia.

Para transportá-las com segurança, cortei alguns pedaços de mangueira de jardim de uma polegada de diâmetro e enfiei as garras da chumbada no tubo. Ficou muito seguro.

Tome cuidado apenas para que o corpo da chumbada tenha um diâmetro menor que a mangueira para que esta não não prenda a chumbada quando aquecida pelo sol.


Se você está vendo um único post, clique na figura abaixo para ir ao Blog Milpesca


terça-feira, 25 de agosto de 2009

Resultado do Torneio de Duplas do Clupesal - I Etapa

Saiu o resultado. Fiquei em 12º. Não adianta chorar ou reclamar, tenho que aprimorar.

O resultado está em: http://www.clupesal.com.br/5torneio_duplas.htm

Se você não inscreveu sua dupla, são mais quatro etapas e você poderá sagrar-se campeão de uma delas.


Se você está vendo um único post, clique na figura abaixo para ir ao Blog Milpesca

segunda-feira, 24 de agosto de 2009

Diário de Torneio

Nos dias 22 e 23 participei da Primeira Etapa do V Torneio de Duplas do Clupesal, em Sítio do Conde, Município de Conde na Bahia, uma ótima oportunidade de rever os amigos e trocar experiências.

Não falarei em colocações ou pontuações até que o Clupesal tenha publicado em seu site, apenas relatarei os fatos notáveis. Abaixo segue o relato.

Primeiro dia, sábado, 21 de Agosto
Acordei por volta das 05h00 e fui a Itapuan comprar iscas. Peguei uma pititinga miúda no Portinho (defronte da Igreja) e o camarão na feira de Itapuan. Achei camarão sete barbas, uma raridade, pois só temos encontrado camarão de maricultura. O camarão ideal para pesca, o camarão "de coroa", não se encontra mais a não ser na rampa do Mercado Modelo.

Comprei 10 quilos de gelo e fui para casa arrumar as coisas no carro. Dividi a isca em dois pacotes, um para cada dia. Cada pacote continha:
  • 1 pacote com 250 gramas de camarão
  • 1 pacote da pititinga miúda, do dia
  • 2 pacotes com pititinga graúda congelada a cerca de um mês
A pequena quantidade de camarão é devido ao paiceiro Célio não ir. Quando a etapa é de dois dias ele não recebe de Sônia, a esposa, a necessária carta de alforria temporária. Aos 84 anos algum cuidado adicional é necessário. Mas em Sauípe estaremos juntos.

Acondicionei os pacotes com as iscas desta vez na caixa de isopor, pois nas vezes que as coloquei na caixa térmica, tipo Colleman, no dia seguinte ficava totalmente imersa em água.

Saímos de Salvador às 08h20m e chegamos a Pousada Havai às 10h25m, viagem tranquila, paramos apenas para abastecer com GNV.

A pousada Havai já estava cheia, encontramos também o Deco, Jair e Fabian com as respectivas meninas. Almoçamos uma ótima moqueca de Camarão preparada por Dona Wilma e às 11h50m fomos para a Praia do Curral Falso, para o Sorteio.

Sorteio realizado peguei o setor 1. Ainda comemorava quando veio a notícia de que tinha faltado uma dupla e o sorteio seria realizado de novo. Droga. Novo sorteio e fui parar no setor 3. A dupla do Erwin ficou com o setor 1 no novo sorteio. Pegar os setores extremos é importante, pois você fica com o mar a direita ou esquerda livres, ampliando sua área de pesca.

Rumamos para o setor 3. Uma boa caminhada, que apesar do peso da tralha, foi feita rapidamente enquanto eu conversava com Lindinalva. O setor 3 ficou à esquerda de um "buraco" ligado ao primeiro canal. No "buraco" estavam os setores de Pedro Paulista e o Álvaro (Nike) e em seguida o Erwin e seu novo companheiro.

Estourado o foguete, lancei uma linha no último canal e outra no primeiro. Ambas com chumbadas de 125g piramidal triangular e 3 anzóis offset número 2, com a pernada de baixo de 50 cm e iscadas com pititinga. Puxei em 10 minutos e... nada. As iscas voltavam intactas. Troquei as iscas para camarão e nada de novo, nem beliscavam.

Enquanto isso, as duplas à direita, em frente ao "buraco", capturavam vários peixes. As duas duplas à minha esquerda também não pegavam nada.

Coloquei uma nova parada com anzol Gamakatsu Akita 9, iscados com camarão e pititinga e nada. Tentei a "espuminha" com um Akita 4 e nada. Passaram-se duas horas e eu estava com o sapato na mão.

A maré encheu e começou a puxar para o sul (minha direita) foi quando na linha que estava no último canal apareceu uma betara de uns 20 cm no anzol offset. Passei a só pescar no último canal e tinha que recolher rápidamente pois logo ia para o setor da direita mesmo eu usando chumbada de garra de 150 gramas. Peguei mais um barbudinho de uns 35 cm. E ficou nisso.

Voltamos para a pousada Hawai onde foi feita a pesagem. Tivemos notícias de uma arraia da dupla do Erwin e um bagre de mais de um quilo da dupla de seu Belo com o Aloysio.

Segundo dia, domingo, 22 de Agosto
As 05h00m da manhã o pessoal da pousada nos acordou. O farto café foi servido às 05:30. As 06h00m saímos para a praia.

Maré cheia, mas já vazando. Armei dessa vez as duas carretilhas para lançar longe e dois molinetes e apenas uma vara com Akita 9, as demais com anzol offset. Soltado o foguete as 07h00 lancei longe uma vara com carretilha e perto, no primeiro canal, uma vara com molinete. O Pedro Paulista ao meu lado iniciou a pesca com a varinha de mão na espuminha e fiquei acompanhando ele.

Era um verdadeiro banho na isca. Voltavam intactas, tanto o camarão quanto pititinga. O Pedro e sua varinha também nada. Passeia lançar todas as varas longe.

A praia estava muito suja. Além de sargaço e raízes, muitos sacos plásticos. A todo momento era obrigado a recolher devido a sujeira que me fazia invadir o setor vizinho.

Quando peguei o primeiro peixe era 09h00. Uma betarinha, pescada longe.

A foto ao lado, tirada por Lindinalva, mostra ela já na espera da vara reserva pois para não perder tempo deixo a vara com o peixe fisgado e levo uma vara já iscada que estava na reserva para lançar. Depois eu retiro o peixe, isco novamente e essa vara fica como uma das duas reservas.

As 09h30m a maré descobriu a razão de eu só ter tirado peixe longe: como já desconfiava, tinha a maior coroa de areia na nossa frente.

Forcei o lançamento e nas horas seguinte peguei mais três peixes, um deles um bagre de mais de 500 gramas.
Desta vez eu estava à esquerda do buraco. As duas duplas seguintes a minha esquerda, que estavam no buraco, amargavam o maior sapato e no finalzinho pegaram alguns peixes. Já a dupla que estava no setor após o buraco, Ronald e o parceiro dele, pescavam a quase 100 metros em nossa frente, direto no último canal, e "matavam a pau".

E ficou nisso. Agora é aguardar o resultado em números no site do Clupesal já que não acompanhei a premiação.



Se você está vendo um único post, clique na figura abaixo para ir ao Blog Milpesca


sábado, 22 de agosto de 2009

Estou no Torneio do Clupesal, Em Vila do Conde.

Retorno na Segunda Feira.


Se você está vendo um único post, clique na figura abaixo para ir ao Blog Milpesca

sexta-feira, 21 de agosto de 2009

Autopsia em um Daiwa Emcast Sport 5000

O pescador Abraham Gonzalez Utrera, morador de Vera Cruz, no México, e participante do fórum de pesca mexicano Los Foros de La Pesca Deportiva en México desmontou um molinete Emcast 5000 e ilustrou fartamente com fotografias. São tantas e de resolução tão alta que a página demora a carregar se você não tiver uma conexão de mais de 300KB.

Como o molinete estava meio "baleado" ele chamou de "autopsia".

Clique na imagem e acesse o post original.


Aproveite para conhecer o ótimo fórum. O surfcasting é chamado lá de surf fishing e há uma seção dedicada a modalidade.

O peixe ao qual eles dão o nome de galo é bem diferente do nosso e aparentemente bem mais esportivo. O nosso xaréu é um dos peixes mais pescados por lá.




Se você está vendo um único post, clique na figura abaixo para ir ao Blog Milpesca

quinta-feira, 20 de agosto de 2009

O que estou lendo II

Power SurfCasting de Ron Arra e outros

Acho que meus lançamentos estão com problemas.

Tenho arremessado com uma carretilha Marine Caster 400, vara Raibow 4,50m, passadores low rider, linha Red Spider o,35 e chumbada de 125 g, cerca de 120 metros.

Clique para ampliar

Já com as mesmas vara e chumbada, mas com um molinete Emcast 6000 e linha multi 0,18mm só tenho alcançado cerca de 100 metros.

Ora, toda a literatura que tenho tido acesso, nega peremptoriamente a situação acima, ou seja, os resultados deveriam ser ao contrário para essa faixa de distancia considerando os dois equipamentos, molinete e carretilha.

Acredito que o problema é o meu lançamento o qual executo em "overheadcasting", ou seja, por sobre a cabeça. Embora efetivo, esse lançamento é o feijão com arroz dos lançamentos, pois você não arrisca a vara, mas também não tem grandes resultados.

Tão logo passe a etapa do Torneio do Clupesal, investirei no lançamento "off-the-ground cast", um lançamento com o chumbo no chão e aceleração da vara por rotação, e para isso estou lendo o livro ao lado, cujo autor principal já foi quatro vezes campeão nos U.S.A., além de ser garoto propaganda da Abu Garcia.


Se você está vendo um único post, clique na figura abaixo para ir ao Blog Milpesca

quarta-feira, 19 de agosto de 2009

Uso de Parafusadeira na Pesca de Praia

A ferramentinha é uma “mão na roda”. Ganhei de presente de minhas filhas no dia dos pais de 2008.

Se você precisa retirar a linha de um molinete ou carretilha, seja para descarte ou para troca, ou ainda uma simples inversão do “lado” da linha, passando a parte inicial, já gasta, para trás e trazendo os últimos metros para a frente, ela é perfeita.

São cerca de 150 rotações minutos, rotação ideal para enrolar linhas. Enrolo com ela também o elastricot que vai no porta elastricot que eu uso. Para ver o post do porta elastricot, o equipamento do "Spider Fisherman", clique aqui.


Para que pudesse ser usada nos vários tipos de carretel das linhas, usei um bico aplicador de silicone, daqueles que vêm nas bisnagas. Para dar maior rigidez, enchi o aplicador com durepóxi e coloquei uma ponta de fenda usada, desgastada pelo tempo, a qual é encaixada na parafusadeira.

Tem quebrado um "galhão".





Se você está vendo um único post, clique na figura abaixo para ir ao Blog Milpesca

terça-feira, 18 de agosto de 2009

Cartaz do Campeonato de Duplas do Clupesal

Recebi hoje do Clupesal para divulgação o cartaz abaixo. Participe.

clique no cartaz para acessar o site do Clupesal




Se você está vendo um único post, clique na figura abaixo para ir ao Blog Milpesca

segunda-feira, 17 de agosto de 2009

Em Torneios de Pesca, só os "Feras" Participam?

Claro que não!

Sílvio Fukumoto em seu livro "NOÇÕES GERAIS DA PESCA DE ARREMESSO" , no capítulo de introdução, cita:

"A pesca amadora é uma escola da natureza, saudável, risonha e franca, em que todos são admitidos mas ninguém cola grau, porque é um aprendizado sem fim. É, além disso, como dizia o presidente americano Hoover, uma lição sobre a igualdade dos homens, pois todos os homens são iguais perante os peixes".

Tenho inúmeros casos de "feras" que em torneios ficaram assistindo a neófitos, iniciantes, pegarem peixes enquanto amargavam um "sapato" no setor bem ao lado do iniciante.

O material também não quer dizer muita coisa, uma vara de bambú e um molinete dos mais em conta podem facilmente obter resultados tanto quanto equipamentos de várias centenas de reais.

Chama-se de "sapateiro" o pescador que não pescou nada em determinado dia, coisa que é muito comum. Lembro até que a dupla campeã 2008 do Clupesal durante uma das etapas chegou até a levar um tênis velho para a hora da pesagem, pois não pegaram nada o dia todo.

Em minha primeira participação em torneio, também sai de "sapateiro".

A maior pretensão dos clubes ao promoverem os torneios de pesca é justamente a difusão do esporte e a troca de experiências. Você precisa ver o orgulho dos fundadores do Clupesal quando vêm os novos membros participando dos torneios internos e até dos interestaduais. Se realizam como pescadores.

Venha pescar.

Sim, antes que eu esqueça, o Hoover citado acima, ou melhor, Herbet Clark Hoover foi o 31º presidente dos Estados Unidos entre 1929 e 1933 e só foi considerado melhor presidente que o Busch filho e o Nixon.



Se você está vendo um único post, clique na figura abaixo para ir ao Blog Milpesca


domingo, 16 de agosto de 2009

Pesca com Bungee Jumping :-)

Claro que é uma brincadeira.

Encontrei esse vídeo no Yow Tube e está também referenciado no Blog do Kauby Pescador , do Tocantins.

É uma propaganda muito bem bolada. Tem várias, mas esta é a que tem pesca como tema.

Não entendi exatamente o que é o "the instante kiwi attitude", pareceu-me algo como flarplay. Mas se os neozeolandeses levam isso a sério, esse jeito de ser, devem ser bem um povo bem interessante de se conhecer. Pode ser uma uma atitude resultante da mistura da fleuma inglesa com o "tô nem ai" dos baianos.




Se você está vendo um único post, clique na figura abaixo para ir ao Blog Milpesca

sábado, 15 de agosto de 2009

Compra de Peças Para Molinetes - Daiwa Emcast

(clique na imagem para ampliar)

No início de junho desse ano, um dos meus Molinetes Daiwa Emcast 6000 deixou de funcionar o antireverso infinito durante uma pescaria e ficou com o eixo solto, girando nos dois sentidos.

Como estava em plena pescaria, usei uma borrachinha segurando a manivela e até peguei um peixe galo com ele. A cerca de um ano o outro Emcast 6000 tinha apresentado esse mesmo defeito.

No dia seguinte desmontei o molinete aqui em casa e vi que a mola do ante reverso tinha entortado e saído do lugar. Mesmo tendo o esquema, não me lembrava como a mola era originalmente nem como era montada. Que fiz: desmontei o outro molinete, verifiquei a forma de encaixe e refiz, usando um alicate, a outra mola, tendo como referência a mola do outro molinete.

O serviço ficou bom, mas ficou latente a dúvida de que a mola retrabalhada com o alicate ficaria sempre bem.

Olhando o esquema da Daiwa, vi que o código da peça é W52-5401 A/R PAWL SPRING, procurei a peça na internet e achei nesse site: http://www.mikesreelrepair.com/product_info.php?manufacturers_id=14&products_id=85171.

O cara tem de tudo e comprei logo quatro molas, uma para cada Emcast que possuo. O valor com frete deu cerca de US$ 9.00. Paguei com o paypal.

Após ter feito a compra, recebi um e-mail do Mike informando que a peça estava em falta e que eles estavam repondo o estoque. Pensei: me ferrei!

No entanto, ontem, dois meses depois da compra, recebi o e-mail da Mike informando que as peças foram finalmente enviadas.

(clique na imagem para ampliar)

Ele tem todas quase todas as peças dos molinetes mais vendidos. Um achado. Nas minhas próximas aquisições, seja de molinetes ou carretilhas, verificarei primeiro a disponibilidade de peças e só depois fecho a compra.

informação incluída em 01/10/2009
Para ver a conclusão deste post, clique aqui.


Se você está vendo um único post, clique na figura abaixo para ir ao Blog Milpesca

sexta-feira, 14 de agosto de 2009

Esquema da Carretilha Marine Caster


No post do dia 12 de agosto relatei o problema que tive com a carretilha Marine Caster 400 BI por ter utilizado uma linha muito fina.

Por conta disso, tive que desmontar a carretilha, retirar a peça onde a linha se enroscou e na hora da remontagem tive problemas devido a falta de um esquema da carretilha.

O único esquema disponível é o que vem em uma das abas da embalagem da carretilha, muito pequena e de difícil leitura, vide seta ao lado.

Para obter um esquema de melhor qualidade, acessei o site da Marine, www.marinesportsfishing.com , e não encontrei para download o referido esquema, embora tivesse disponível esquemas de toda a linha da Marine.

Então contatei o fabricante pelo seu site, clicando em CONTATO e já no dia seguinte recebi um e-mail com o esquema solicitado e em uma resolução bem maior. Parabéns a Marine pela rapidez.

(clique na imagem para ampliar)

Você pode baixar o esquema em alta resolução da Carretilha Caster 400 bi que foi enviado clicando aqui.



Se você está vendo um único post, clique na figura abaixo para ir ao Blog Milpesca


quinta-feira, 13 de agosto de 2009

Equipamentos Aos Pares


Não se trata simplesmente de uma mania.

Tenho uma razão bem forte e bem coerente para comprar equipamentos aos pares: Manutenção, comparação e backup.

Recentemente emprestei a um colega pescador uma unidade de um equipamento igual ao dele para que ele fizesse uma comparação de montagem. Como alguns deles são raros aqui em Salvador, o fato de tê-los em duplicata me dá tranquidlidade para o caso de perda de peças e até cópias em torno.

Além dos equipamentos acima, possuo mais dois pares de Marine Beta II 600 e Marine Sport MS2000. É como se eu tivesse um esquema em 3D dos equipamentos.


Se você está vendo um único post, clique na figura abaixo para ir ao Blog Milpesca



quarta-feira, 12 de agosto de 2009

Carretilha com linha fina: Porquê não usar.

No domingo estreei a nova unidade, a segunda, da carretilha Marine Caster 400 5BI recém comprada e recebida essa semana.

Ter sempre duas unidades de molinetes e, agora, carretilhas do mesmo modelo é uma mania minha e ainda faço um post sobre isso.

Voltando a estréia da carretilha, abasteci ela com uma linha RED SPIDER 0,20 mm por ter ela disponível e por saber que a maré estaria puxando no domingo. Coloquei oito metros de leader em fluorcarbono 0,46 mm, para 20 libras, mais uma chumbada pirâmide de base triangular e fui à luta.

No terceiro lançamento, soltei a trava da carretilha e ao arremessar o carretel parecia estar preso e a chumbada caiu a pouco mais de 30 metros e formou-se uma cabeleira monstruosa. A linha muito fina passou entre a borda do carretel e a lateral da carretilha, veja a seta na foto ao lado, enrolando no eixo. Uma bost..!

Como ao chegar da pescaria com o Célio, fui almoçar com o meu pai, apenas ontem a noite desmontei a carretilha para retirar o enrosco, pois mesmo cortando a linha não estava conseguindo retirar toda a linha enrolada no eixo. As fotos abaixo mostram como foi.

Depois que desfiz o enrosco, voltei a carregar a carretilha com uma linha Red Spider 0,35 mm. A linha com esse diâmetro é suficientemente grossa para não passar pela fenda entre o carretel e a lateral da carretilha, resolvendo o problema.

clique nas imagens para ampliar




Se você está vendo um único post, clique na figura abaixo para ir ao Blog Milpesca


terça-feira, 11 de agosto de 2009

Melhor Tábua de Marés e Previsão do Tempo

A Secretaria de Agricultura do Estado da Bahia disponibiliza em seu site na Internet informações completas de previsão de tempo, ventos, altura das ondas e Tábuas de Marés. Tudo isso para cada praia notável do Estado da Bahia. As informações são do site tempoagora.uol e estão compiladas e disponibilizadas de uma forma fácil de ler.

Por exemplo, se você que ver a previsão de maré, altura de onda, direção e intensidade do vento para a praia de Itapuan pelos próximos três dias, está tudo lá, em uma única página. Se for da Praia de São Miguel, em Ilhéus, está lá também. Praia do Conde também.

Para os habitantes da areia, banhistas e pescadores, são informações valiosas pois ventos de mais de 10 km por hora e ondas de mais de 80 centímetros já atrapalham um bocado a pescaria e o banho de mar. Veja o exemplo na figura abaixo:

clique na figura para ampliar

Para acessar a página da SEAGRI, clique aqui.


Se você está vendo um único post, clique na figura abaixo para ir ao Blog Milpesca

segunda-feira, 10 de agosto de 2009

Por que a maré nunca "vira" na hora marcada?

Quando vamos pescar sempre consultamos a Tábua de Marés. Teimosamento, enquanto pescamos verificamos que a virada da maré nunca ocorre na hora que constava na tabela.

A explicação é simples: a hora informada na Tábua de Marés que consultamos, geralmente a do Porto de Salvador, se refere à localização geográfica, latitude e longitude, daquele ponto e se não estamos exatamente no ponto, a hora da virada da maré é diferente, antes ou depois.

E não pense que é pouco. Veja o comparativo para o dia 01 de agosto de 2009. O os três portos não estão distantes mais que 15 km um do outro em linha reta.

informações: SEAGRI BAHIA


Agora, imagine a diferença se você vai pescar em Sítio do Conde, a 160 km em linha reta do Porto de Salvador. É claro que não dá para usar as informações do Porto de Salvador em Sítio do Conde.

Se você está vendo um único post, clique na figura abaixo para ir ao Blog Milpesca




domingo, 9 de agosto de 2009

Dia dos Pais, Com Pescaria



Contrariando a previsão do tempo, que previa chuvas e ventos de 14 km/h, o domingo amanheceu nublado mas praticamente sem vento.

Acordei as 05:00 e fui chamar o PAIceiro Célio. As 05:40 já pescávamos no Buraco do Padre. Pegamos alguns peixinhos miúdos, uma novidade no Buraco do Padre, conhecido pelos bitelos que aparecem por lá.

Peguei um bom peixe galo, de umas 400 gramas, mas a novidade foi o pampo galhudo (aratubaia) que o Célio pegou, de 730 gramas. Um bom Presente de Dia dos Pais ao Célio, providenciado por Posseidon. Vide foto acima.

Novamente uma aratubaia (pampo galhudo) pequena se ferrou no imenso anzol offset nº 1. Em seguida mais dois barbudinhos (parati barbudo) de menos de 20 cm, suicidas, imagino, também foram pegos no imenso anzol.


Parabéns pelo Dia dos Pais.



Se você está vendo um único post, clique na figura abaixo para ir ao Blog Milpesca