caiaque bahia

caiaque bahia
Visite o Caiaque Bahia - clique na imagem

sexta-feira, 27 de novembro de 2009

Como Cravar o "Fincador", ou a "Espera de Praia", Sem Fazer Força

Tenho sempre reparado o sufoco por que passam alguns colegas pescadores na hora de cravar os "fincadores", também chamados de "esperas", na areia da praia. E apesar de todo o esforço na cravação, de vez em quando vejo uma vara e molinete irem ao chão, bem na areia, e água salgada, por uma má cravação da "espera".

A dica me foi passada pelo Júnior (Juca), do Clupesal, em 2006 e desde que reduzi substancialmente o peso e volume de minhas esperas tem funcionado maravilhosamente bem.

A cravação por sucção é rápida, simples e muito eficaz. Veja como fazer no clip abaixo.

video

Para que funcione, é necessário que a sua "espera" tenha o menor volume interno possível e caso sua espera seja um tubo de PVC de duas ou mais polegadas vai ficar complicado pois você terá que compensar com os pulmões. A espera não pode ter furos, claro.

O princípio de funcionamento é simples: ao sugar o ar de dentro da espera, a menor pressão gerada e a força de sução fazem com que a areia e a água subam pelo interior do tubo e consequentemente ele penetre na areia molhada, como uma faca quente na manteiga. Seu peso (cabeça, tronco e mãos) forçando a espera para baixo completam a cravação.

Na areia seca não é possível a cravação pois a areia é porosa, com muitos vazios entre os grãos, o que impede a criação do "vácuo" no interior do tubo. Já na areia molhada, a água preenche o vazio entre os grãos ao mesmo tempo que age com um lubrificante permitindo que a areia "suba" pelo tubo do "fincador".

Para ver como fazer uma espera que possa ser cravada por sucção sem problemas, clique aqui.

Enjoy.

ps- Caso você tenha que usar rebites do tipo "POP" na "espera" que for construir, lembre-se de fechar o furo do rebite com resina. Se possível, faça as esperas com tubo de 40 mm, ao invés do de 50 mm, para isso verifique o diâmetro do "pé" de suas varas.

Compra pela Internet com entrega por SEDEX com "pioria contínua" II

Hoje, finalmente, chegou à loja Costão Pesca, a vara devolvida ao remetente pelo Correios mesmo após eu ter-me colocado à disposição para ir retirar na agência.

A Heloisa, da Loja Costão Pesca, confirmou que suprimiram o número ao digitar o meu endereço.

Mesmo assim, se o Correios se tivesse proatividade teriam poupado tem e dinheiro de todos os envolvidos, inclusive a eles.

A Costão Pesca já enviou de volta, novamente por SEDEX.

Eis o histórico com toda trapalhada feita pelo Correios:




Se você está vendo um único post, clique na figura abaixo para ir ao Blog Milpesca

quarta-feira, 25 de novembro de 2009

Compra pela Internet com entrega por SEDEX com "pioria contínua"

Há cerca de 10 dias efetuei uma compra na Costão Pesca de uma vara Tacom de 4,20 m para presentear um amigo. Para chegar a tempo, o serviço escolhido foi o SEDEX.

Ontem tive que substituir o presente pois até agora o Correios não conseguiu entregar a mercadoria nem devolvê-la ao remetente e estão fazendo uma verdadeira trapalhada com a encomenda. Veja no histórico abaixo.
O último status indica que o objeto foi "encaminhado". Tenho até medo de saber para onde.

A impressão que fica é que o CORREIOS implantou um sistema de "PIORIA CONTÍNUA" ou que os serviços estão sendo conduzidos pelo "Os Trapalhões" ou "Três Patetas" pois, mesmo através do serviço 0800, eu me dispondo ir buscar na central do Aeroporto eles não conseguem propiciar isso.

Outra piada é a Ouvidoria que é inacessível pois o site foi construído para dificultar o máximo o contato para reclamações. Você clica na parte da ouvidoria e entra em LOOP com o sistema de reclamação. E apesar de ter feito dois contatos, eu não consigo registrar nada, ou seja, minhas reclamações jamais terão existido. Realmente há um esmero por parte dos CORREIOS na busca da "PIORIA CONTÍNUA" dos serviços. E isso, tenho certeza, nada tem haver com instituição CORREIOS e sim com a GESTÃO.

No código de ética dos Ouvidores dos CORREIOS, publicado no site, em seu item quatro, está lá escrito "Atuar com agilidade e precisão". Com certeza, ao menos esse item, tenho certeza que não estão seguindo. Pode ser por não estarem "ouvindo", já que são inacessíveis.

Se você for a página de outra estatal, da Petrobras por exemplo, há uma grande facilidade para contato com a ouvidoria. Compare nos links abaixo:

http://petrobras.com.br/pt/ouvidoria/
http://www.correios.com.br/servicos/falecomoscorreios/default.cfm


Independentemente de ter havido algum possível erro da parte da loja Costão Pesca e Náutica, que é responsável pelo envio, a postura dos CORREIOS é de nenhuma proatividade para resolução. Vou acompanhar postando aqui a evolução.



Se você está vendo um único post, clique na figura abaixo para ir ao Blog Milpesca



segunda-feira, 23 de novembro de 2009

Diário de Torneio IV

Este final de semana estivemos em Sítio do Conde participando da Quarta Etapa do Torneio de Duplas 2009 do CLUPESAL. A Terceira Etapa foi anulada devido a problemas relacionados à distribuição das raias.

Saímos de Salvador, eu e minha mulher, às 08:30 horas e chegamos a pousada por volta das 11:o0.

Por volta das 12:00 horas apareceram o Jair, Deco, Fabiam e as meninas. E em seguida o Júnior e o pai. Eles foram para outras pousadas onde ficaram anteriormente.

A Pousada Hawai de Dona Wilma e Seu Edir é uma excelente opção. Simples, mas com um atendimento incrível proporcionado pelos proprietários. Tem um excelente café da manhã o qual pode ser servido à partir das 05:00 horas. A roupa de cama é cheirosa e de ótima qualidade, o que denota um bom investimento dos proprietários nesse item.

Almoçamos a excelente feijoada que Lindinalva levou, já tradição nossa, elogiada pelo André Barbosa, o que comprova que não sou somente um marido puxa-sacos. Almoçamos com a ajuda da estrutura da pousada.

Como sempre, não falarei em colocações ou pontuações do torneio, até que o Clupesal tenha publicado em seu site, apenas relatarei os fatos notáveis. Para ver se o resultado já está disponível, clique no logotipo do Clupesal à direita. Abaixo segue o relato:

Apesar de ser uma etapa de apenas um dia, participamos da Gincana Maluca no sábado. O Paiceiro Célio não pode ir pois está com a esposa se recuperando de uma forte bronquite. Novamente pesquei sozinho e com apenas duas varas, como manda o regulamento, ao invés das três varas que são permitidas quando há dois pescadores.

A Ginkana Maluka ocorreu na Praia do Corre Nu. Durante essa gincana o Clupesal determina apenas qual é a praia, a quantidade de varas por pescador, no caso apenas uma, e quais os horários de início e término, que foi das 15 às 17 horas. Você pesca onde quiser, nos limites da praia. Tive durante toda a pescaria a companhia agradável de Seu Belo. Todos pegaram peixes, alguns paratis (barbudos) foram bem "criados". Peguei uma sardinha de dentes que possivelmente será recorde no Clupesal.

O prêmio da "Ginkana Maluka" é um saco de conteúdo variado onde geralmente tem de molinete a goiabada, passando por bonés e outras quinquilharias. O vencedor foi o Zé Carlos, o Totó, que na foto abaixo recebe o prêmio de Vera, a esposa.
O sorteio da etapa do Torneio de Duplas aconteceu às 07:15h, pois houve uma tolerância de 15 minutos, com a presença dos capitães de cada equipe e eu fiquei com a "raia", também chamada de "setor", 11. A equipe composta por Seu Belo e o Aloysio ficaram na raia 12.

Já a dupla da equipe abaixo, chegou após o sorteio, quando já estávamos pescando, e como não avisaram com antecedência, ficaram de fora do sorteio e da etapa do torneio. Eles ficaram pescando a cerca de 100 metros ao norte da última raia, onde estavam o Júnior (Juca) e o pai, e capturaram, dentre outros peixes, esse xaréu de 4,8 quilos. Uma pena, pois teriam sido os vencedores da etapa e ficariam com o recorde do xaréu.
Eu peguei essa pescada branca e o Aloysio pegou esse dublê, veja fotos abaixo. O Aloysio juntou-se à mim e ao Kesso nos "vacilões com bagres", cortando o dedo profundamente na boca do bagre. Não é só com os ferrões que devemos ter cuidado.
As fotos são de Lindinalva, Miriam e Aloysio.


Se você está vendo um único post, clique na figura abaixo para ir ao Blog Milpesca

quinta-feira, 19 de novembro de 2009

Fabricando Chumbadas em Casa

Ontem eu e o Deco Loureiro juntamos esforços para a produção de chumbadas, a maioria piramidais de base triangular.

O Deco tem uma facilidade para a obtenção de sucata de chumbo e como já tinha juntado cerca de 3,5 quilos e estava "injuriado" (tradução do baianês: revoltadíssimo) com os preços cobrados pelas lojas de materiais de pesca e eu também já tinha por aqui cerca de 1,5 quilos de chumbadas velhas, disformes ou com os grampos quebrados e vivo insatisfeito com os peso e forma das chumbadas vendidas, juntar os esforços foi uma ótima idéia.

Começamos produzindo os grampos com os giradores, ambos em aço inóx, enquanto derretíamos a primeira fornada de chumbo. Os giradores foram fixados aos grampos com fita crepe.

Desta vez não tivemos problemas com o chumbo pois o que Deco trouxe estava limpo e lavado e o meu também. Desta vez não contaminei o condomínio com o cheiro de resíduos misturados ao chumbo.

Na fabricação eu enchia as formas com o chumbo derretido e o Deco vinha em seguida colocando o grampo com o girador. Fizemos seis fornadas, derretendo cerca de um quilo de chumbo por vez. As chumbadas que ficavam com algum defeito eram derretidas novamente. As formas das chumbadas eram quatro minhas e três do Deco. Tudo isso foi feito com luvas, sapatos, camisas e máscaras, com toda segurança.
Produzimos, em aproximadamente duas horas e meia, 39 chumbadas com peso médio de 125 gramas cada uma, esgotando todo o estoque de chumbo. Quase cinco quilos.

O Deco trouxe uma balança eletrônica de precisão e escrevemos nas chumbadas com uma caneta de marcar chapas de aço o peso de cada uma.

Para ver detalhes de fabricação das formas, dimensionamento das chumbadas, cuidados a tomar, EPIs a usar e quais materiais são usados, clique aqui.

Se você está vendo um único post, clique na figura abaixo para ir ao Blog Milpesca

quarta-feira, 18 de novembro de 2009

A vara Tacom Surf Leader é a mesma Ryobi Proskier ?

Essa semana, premido pela necessidades de locomoção de minhas filhas que disputam com a mãe um único carro, estou trocando a SUV que temos por um carro menor e isso tem consumido meu tempo. Não tenho nem pescado e nem postado.

Mas voltando a resposta para o questionamento no título deste post, a resposta é que aparentemente sim. As únicas coisas diferentes externamente são justamente o nome "Ryobi Proskier", imenso, o que contrasta com o discreto "Tacom", e o "reel seat", o fixador do molinete, que na Ryobi Proskier é o mesmo usado na Vara DAM Emotion, do tipo deslizante. As informações do casting são exatamente as mesmas.

Essa comparação surgiu quando pescávamos lado a lado com o Deco e começamos a reparar nas semelhanças, embora a minha vara esteja adaptada para uso de carretilha.

Quanto a usabilidade, as duas são excelentes varas. Lembro-me que logo quando o Deco comprou, como sempre em uma ótima promoção, usei ela e fiquei surpreso com a leveza e poder de arremesso. Tal qual a Tacom.

O único questionamento é: qual o motivo de se pagar mais caro em uma Ryoby, mais de 80%, se pode-se ter a mesma coisa com a vara Tacom por menos de R$ 200,00 ? O "reel seat" vale essa diferença?

Como nós já sabemos, a China tem várias fábricas que produzem materiais genéricos , alguns muito bons, nos quais qualquer empresa pode chegar e colocar suas marcas. Por isso temos casos de molinetes iguais com marcas diferentes, sem serem necessariamente produtos ruins. Coisa semelhante acontece aqui com o mercado de auto peças, onde as peças "de autorizadas" são produzidas pelos mesmos fabricantes do mercado paralelo e apenas "homologadas" pela montadora.


O representante das duas varas é o mesmo, a Tongai, cujo print screen está à seguir, o que reforça a tese da "mesma vara". Clique na imagem para ir a página deles.

Como comprei uma Tacom de 4,20 para presente, já combinei com o Deco uma pesagem e medição das paredes para termos um parecer definitivo. Talvez também um teste de desempenho entre as duas varas.


Se você está vendo um único post, clique na figura abaixo para ir ao Blog Milpesca

domingo, 15 de novembro de 2009

Pescando com o Deco e o Kesso

Minha intenção hoje não era ir pescar. Pensei em ficar aqui por casa enquanto aguardava um contato com um colega mas nesse meio tempo recebi um telefonema do Deco avisando que estavam, ele o Kesso, no Buraco do Padre.

Como o colega não tinha feito o contato, pequei as duas varas Tacom e duas carretilhas, dois cartuchos de pititinga congelada e rumei ao Buraco do Padre.

Ao chegar lá, passei a pititinga que de imediato foi iscada e lançada pelo Deco. Ficamos conversando foi quando o Deco disse que a vara dele tinha "batido", como tem muito sargaço achei que foi alarme falso mas o Deco foi conferir e pegou esse "bonito bonito pintado", de mais de um quilo, o primeiro "bonito" é adjetivo e o segundo "bonito" e o "pintado" são substantivos. Foi fisgado na pititinga.

Esse é o segundo bonito pintado que vejo capturado no Buraco do Padre em 12 anos. O primeiro foi capturado pelo colega José Carlos, esse ano. Clique aqui para ver o post à respeito.

Já o Kesso e eu não fizemos "tão bonito" quanto o Deco, mas não ficamos de "sapateiros", veja nas fotos abaixo.

Tivemos também o prazer de conhecer o Silva, pescador de praia do Rio de Janeiro, com quem tivemos um papo lega enquanto tomávamos umas "geladas".




Se você está vendo um único post, clique na figura abaixo para ir ao Blog Milpesca

sexta-feira, 13 de novembro de 2009

Testando a nova vara Tacom

Para ver o post anterior desse assunto, clique aqui
Fui ao Buraco do Padre para testar a nova vara recém modificada.

Como a outra Tacom que possuo é praticamente igual, coloquei um anel amarelo nas três partes da vara antiga e passei resina por cima, para não misturar as partes.

O desempenho da nova vara foi muito bom, semelhante a vara antiga e lança sem esforço uma chumbada míssil de 120 gramas mais três iscas de pitinga média com anzóis circle número 4 a 100 metros de distância. Usei a carretilha Marine Caster e linha multifilamento 0,18 da Pelagic. Fiquei bastante satisfeito. A adição dos três passadores para possibilitar o uso da vara também com carretilha deixa ela mais "durinha" e muito boa de se usar com carretilhas.

Como estava com muito sargaço (ainda, uma porcaria) , coloquei uma chumbada de garra de 150 gramas nas duas varas e o desempenho continuou o mesmo.

Não foi na vara Tacom nova, a qual ainda está virgem, mas capturei uma carapeba de uns 30 cm. Veja as fotos.
No detalhe está o local de fisga do anzol circle, sempre no canto da boca do peixe, no local chamado "canivete". Para ver mais sobre o anzol circle, clique aqui.
Como o tempo estava "abafado", sem muito sol, mas com calor intenso e sem vento, não fiquei na praia mais que duas horas, 09:40 já estava em casa.

Ha, sim, ia esquecendo, recebi hoje um email do Fabrício Jorge, da loja FABPESCA, informando que ainda tem da vara TACOM de 3,90m a R$ 186,00. O produto não consta da loja virtual deles e o jeito é telefonar ou passar um e-mail em caso de interesse: www.fabpesca.com.br



Se você está vendo um único post, clique na figura abaixo para ir ao Blog Milpesca

quinta-feira, 12 de novembro de 2009

Mais Uma Vara Modificada Para Carretilha

Chegou na quarta feira a vara Tacom Surf Leader de 3,90 metros que comprei na segunda feira da loja Costão Pesca, em Santa Catarina.

Essa vara foi uma alternativa a Rainbow Coral de 4,50 a qual procurei bastante pela Internet e por telefone, em todo o Brasil e vários lojas informaram que ela não estava sendo mais importada.

Nessa vara Coral, coloquei passadores Low Rider e ela tem um desempenho muito bom para longos lançamentos, mesmo com minha grande incompetência para tal. Clique aqui para ver o post à respeito.

Em outra vara que tenho, a Killer de 4,05m, a troca de passadores para Low Rider não agregou distância de lançamento. Clique aqui para ver o teste da vara Killer com passadores Low Rider.

A alternativa então, dentre as varas que conheço, passou a ser a vara Tacom Surf Leader, já que a modificação dela para uso com carretilha resultou em uma vara muito boa, leve, e com um excelente cast (150/300 gramas). Clique aqui para ver como foi a modificação que fiz e o teste da vara Tacom.

Tinha visto a Tacom aqui em Salvador na Esportimar e fui lá para comprar. Quando lá cheguei fui informado que tinham vendido a última nessa semana. Depois fiquei sabendo pelo Deco Loureiro que nosso amigo Fernando, o Sombahia, foi quem possivelmente comprou por indicação dele.

Que fiz: preparei uma correspondência a cerca de 25 lojas, virtuais e físicas, em todo Brasil perguntando se tinham a vara. Pedi ajuda também ao amigo Deco para encontrar. Na segunda feira, dia 10, a loja Costão Pesca respondeu positivamente e comprei deles por cerca de 220 Reais, frete incluso.

No mesmo dia que a vara chegou, fui em Vilas do Atlântico, na loja Crias e Manias e comprei três passadores número 16, iguais aos originais da vara. Duas horas depois a vara já estava modificada e pronta para também usar carretilhas, inclusive com o EVA do pé da vara lixado para caber nas minhas esperas (fincadores) de 40 mm. Veja na foto abaixo como ficou. Clique nas fotos para ampliar.

Essa nova vara tem o "butt cap", o pé da vara, diferente da que eu já tinha, O da nova vara é parecido com o da Killer. Mas o resto parece-me exatamente igual.

Fui convocado para ir ao trabalho hoje e farei o teste da vara amanhã, dia 13, sexta feira. Aos supertisiosos, cuidado!





Se você está vendo um único post, clique na figura abaixo para ir ao Blog Milpesca

quarta-feira, 11 de novembro de 2009

Pescaria no Buraco do Padre - Pampo com 0,80 kg.

Consegui ir pescar hoje. Fui ao Buraco do Padre, cheguei às 06:00 e sai às 10:30.

Tinha muito sargaço, clique aqui e veja como pesco sob essas condições, e o único peixe foi o pampinho das fotos, capturado por volta das 08:00 horas em lançamentos que eu estava fazendo após a arrebentação que estava a uns 80 metros.



Dados da captura:

(clique nos textos para ir para as postagens à respeito)

Se você está vendo um único post, clique na figura abaixo para ir ao Blog Milpesca

Pesca Com Bóia de Água e Sabiki

Hoje, dia 10, foi um sufoco para encontrar pititinga. A ausência dos predadores tem feito com que os cardumes de pititingas se dispersem e o resultado é que nem isca, nem peixes.

Sai de Stella Maris, passei em Itapuan, nada. Fui ao Rio Vermelho, e nada. Ao passar por Amaralina vi um pescador solitário tarrafando e parei o carro e fui para junto dele.

Enquanto ele buscava as iscas puxei conversa com um pescador que estava ao lado. O nome dele é Stéfano, é cidadão francês e é o "cara" da foto acima.

O Stéfano pescava com uma "bóia de água", transparente, cheia de água, claro, e que funciona também como peso para arremesso. Acima da bóia, espaçados a cada 40 cm estavam três pernadas de 20 cm cada, aproximadamente. Vejam as setas na foto acima. Clique na foto para ampliar.

Abaixo da bóia pendia uma pernada de cerca de 40 cm. Todas as quatro pernadas tinham um sabiki de penas amarelas com anzol que me pareceu ser o 34007 da Mustad, número 1. A vara tinha cerca de 2,5o metros e o molinete não consegui identificar, mas não era um Mittchel, de tamanho próximo do 5000 ou 6000 do modelo Beta, da Marine Sports.

Conversei com ele sobre o funcionamento da montagem e é igualzinho aos nossos sabikis com bóias de arremesso, só serve se o peixe estiver se alimentando na superfície ou meia água e você arremessa no local. Mas queixou-se de que esses dias os peixes não têm aparecido e que ele normalmente pesca na Barra, mas devido a falta de peixes estava tentando ali, em Amaralina.

Foi quando o pescador voltou com a segunda "tarrafada" e a quantidade de pititingas passou a ser razoável. O pescador disse-me que foi a primeira vez que tinha pego pititinga desde 'as o4:30, h da manhã. Já eram 07:10 horas. Paguei generosamente, despedi-me do Stéfano e vim para casa.

Cheguei em casa doido para ir pescar, congelei uma parte das pititingas e foi quando minha menina mais nova pediu-me para ir com ela a faculdade, para trazer o carro da mãe de volta. Ela está começando a dirigir agora, conseguiu a habilitação recentemente, e não pude furtar-me. A pescaria fica para amanhã. Voltei, e congelei o resto da pititinga.


Se você está vendo um único post, clique na figura abaixo para ir ao Blog Milpesca


terça-feira, 10 de novembro de 2009

Lojas com Artigos de Pesca de Praia

A intenção desse post é proporcionar aos colegas pescadores alternativas para a aquisição de materiais para a pesca de praia.

Aqui em Salvador o pescador de praia não tem à sua disposição a mesma quantidade de lojas com materiais para PDP (Pesca De Praia) que se tem no Rio de Janeiro ou em São Paulo.

Além da quantidade de lojas ser menor, as daqui de Salvador, mesmo considerando o bom atendimento dos seus proprietários e funcionários, não têm o estoque diversificado ou não investem nessa diversificação.

A esperança é que com o PIB baiano crescendo ao dobro da média nacional, como nos últimos anos, alguma grande loja venha para cá ou as daqui passem a investir mais.

Para a loja estar na relação abaixo, ou devo ter feito alguma compra ou ter ter feito alguma consulta que tenha sido respondida pela da loja, nos quais fui bem atendido. Além disso a loja tem que ter em seus estoques molinetes para pesca de praia ou varas para pesca de praia.

Caso sua loja tenha materiais para pesca de praia e não esteja entre as abaixo, entre em contato conosco.









































Claro que tem material para pesca de praia, se bem que o básico e vários acessórios.

Não tem site na Internet, e fica antes da Portaria II de Vilas do Atlântico. Dica do Marival.
























































O forte da Maripesca são os anzóis Gamakatsu para competições de pesca de praia e demais acessórios.




































































































Se você está vendo um único post, clique na figura abaixo para ir ao Blog Milpesca